Dungeon Defense Volume 1 – Capítulo 5 (Parte 2) – O circo mais extravagante

Dungeon Defense Volume 1 – Capítulo 5 (Parte 2) – O circo mais extravagante

Dungeon Defense: Volume 1 – Capítulo 5 (Parte 2)
Capítulo 5 – O circo mais extravagante (Parte 2) 

 

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 8, Dia 20
Niflheim, Palácio do Governador

No meio do ambiente barulhento do salão.

“…aquele com a maior posição dentre os Lordes Demônio é eu. É apenas apropriado um Lorde Demônio ser o juiz de um conflito entre dois Lordes Demônio.”

Me pergunto se ele achou que não poderia mais permanecer como um espectador, mas rank 5º Lorde Demônio Marbas se fez presente.

“Ivar Lodbrok. Estarei temporariamente pegando o cargo de anfitrião. Perdoe-me, mas o peso disto é muito grande para deixar em suas mãos.”

“Como deseja, Vossa Majestade.”

O velho vampiro obedientemente recuou.

“Hm.”

Marbas foi até o centro do salão.

O jeito que ele firmou suas pernas o fez parecer como se fosse uma árvore gigante. Sua estabilidade era digno de nota. Este homem baldo corpulento estava franzindo bastante suas sobrancelhas, como se não estivesse achando esta situação agradável.

“Sou de rank 5º. Sendo o Lorde Demônio no comando da nobreza, devo formalmente receber o pedido de Paimon. O acusado é o rank 71º. Sem Nome, Lorde Demônio Dantalian.”

A declaração de Marbas pesou fortemente no ambiente.

Sua voz dignificada não permitiria objeções. Os Lordes Demônio abaixaram seus olhares, e as fadas se alinharam e cuidadosamente reverenciaram.

“Excluindo as pessoas diretamente envolvidas, intervenção de terceiros está estritamente proibido. Dantalian. O acusado nesta Noite de Santa Valburga. Venha e enfrente sua acusadora.”

Seria apenas apropriado obedecer o anfitrião.

Dando alguns passos à frente, fui exatamente até o centro do salão de bailes.

“…”

“…”

Paimon e eu nos olhamos, deixando uma pequena abertura entre nós.

Como duelos começariam entre gladiadores no Coliseu de Roma.

“Assim que ambos lados tiverem terminado suas refutações, decidiremos qual opinião está certa por voto majoritário. Primeiro, devo apresentar o direito de questionar Dantalian à acusadora, Paimon.”

“Sim.”

Paimon pegou ambos cantos de sua saia e se curvou.

Era como se o tempo tivesse parado enquanto ela se reverenciava.

“Obrigado por aceitar minha audição.”

Paimon lentamente virou seu olhar para cá.

“Devemos confirmar todos os fatos primeiro então? Dantalian.”

“Como deseja, Vossa Majestade.”

Fiz um breve reverenciamento como cumprimento.

Na verdade, é a primeira vez que estamos nos vendo, e mesmo assim não há ações reservadas entre nós. Hostilidade está mais explícito do que boa vontade.

“Você, no décimo sexto dia do oitavo mês, às 4 da tarde, matou Lorde Demônio Andromalius na Praça de Hermes de Niflheim. Esta dama está correta?”

“Correto. Admito isto.”

“E, Dantalian. Você, sabendo muito bem que o outro lado era um Lorde Demônio, matou-o do mesmo jeito. Esta dama está errada?”

“Isso também está correto. Ah, mas se eu puder responder mais precisamente.”

Levantei meus ombros.

“Não sabia inicialmente que ele era um Lorde Demônio. Enquanto estava bebendo cerveja na praça, um jovem simplório estava espancando um idoso. Estava me perguntando que tipo de bastardo era. E acabou que era um Lorde Demônio. Estava um certo surpreso.”

“…em outras palavras, você não matou o Lorde Demônio por acidente, mas o matou com a intenção de tal ação.”

Balancei minha cabeça.

“Perdoe-me, Vossa Majestade Paimon. Mas há um pequeno mal-entendido.”

“Um mal-entendido?”

Paimon enrugou suas sobrancelhas.

“Que tipo de mal-entendido há nesta clara verdade?”

“Estou me referindo ao Andromalius. Jurando pelas Deusas, Vossa Majestade Paimon, teria matado esse vira-lata sendo ele um Lorde Demônio ou não.”

Pessoas começaram a tumultuar.

Paimon franziu o cenho e me advertiu.

“…Dantalian. Hoje é A Noite de Santa Valburga, e você está sendo acusado de homicídio. Que tal ser um pouco mais cortês no seu modo de falar?”

“Ooh. Perdoe-me, mas não consigo. Vossa Majestade, com prazer continuarei a chamá-lo de vira-lata. Acredite. Foi apenas o apropriado para aquele bastardo morrer.”

“Você…”

“Honestamente, é um certo lastimável. Devia ter presenteado aquele tolo uma morte mais dolorosa. Apenas finalizei apunhalando uma adaga uma única vez em seu pescoço. Ele era um verdadeiro lixo, vagando pelos becos como um vagabundo. Era óbvio vendo o quão fraco era.”

O tumulto ficou bem mais barulhento.

Estava propositalmente exagerando minhas palavras e fazendo-as mais ofensivas.

Marbas disse que decidiríamos por voto majoritário. Representando o fato que a Paimon é a Lorde Demônio de rank 9º, ela tem esse tanto de seguidores. O que seria se uma batalha normal de votos acontecesse? Sendo a pessoa que não tem sequer um seguidor, meu destino era derrota certa.

Assim, preciso conseguir aliados.

A Lorde Demônio que odeia a Paimon.

A Lorde Demônio que prefere palavras cruéis a palavras gentis.

E o mais importante, uma Lorde Demônio de posição alta que tem tantos seguidores quanto a Paimon.

‘Barbatos.’

É isso.

Não estou respondendo a Paimon, e sim apelando à Barbatos. Agora, me observe cuidadosamente. Há um novato aqui que deveria certamente se encaixar nas suas preferências.

Você quer dar um golpe na Paimon, certo? Ainda deve estar com alguma raiva acumulada por ter perdido aquela argumentação. Devo realizar seu desejo por você. Barbatos. Tudo que você precisa fazer é me escolher durante o voto majoritário. Embora temporariamente, faremos uma incrível aliança…

“Meça suas palavras, Dantalian!”

Paimon gritou.

“Andromalius era de nossa família!”

“Consigo concordar com apenas metade da opinião de Vossa Majestade. Andromalius não era simplesmente de nossa família. Ele era um membro vergonhoso de nossa família. Ah, pessoas! Por favor! Vamos ser mais honestos.”

Rapidamente me virei para olhar meu arredor.

“Aquele vira-lata assaltou o dono do bar apenas porque não queria pagar pelo seu álcool. O dono era um anão idoso tão velho que suas costas eram arqueadas. Mas, não é só isso. Depois fiz algumas investigações e encontrei que a quantidade de civis que matara foi 54 apenas em Nilfheim!”

“Isso é…”

“Há até mesmo 12 crianças incluídas nessa lista. Vocês sabiam disto? Esse cara abateu essas crianças até a morte apenas porque não abaixaram suas cabeças para ele. Mas se adicionarmos não apenas as baixas, mas também os feridos, então o número total de vítimas seria de 327. Lembrem-se, este número é apenas das vítimas publicamente conhecidas. Pessoal. Se alguém me dissesse que esse vira-lata estuprou alguma garota e jogaste seu corpo nos esgotos, não ficaria surpreso! Ó, Deusas! Por favor, ordene que os demônios do Inferno punam Andromalius por toda a eternidade!”

“Você, realmente…”

Paimon abriu sua boca.

“Com que coragem, em frente desta dama…Dantalian. Esta dama poderá acusá-lo novamente por desrespeito ao tribunal. Arrume seu tom imediatamente.”

Os cantos da minha boca se contorceram.

Devo recuar por enquanto.

“…meus perdões, Vossa Majestade Paimon. Devo me desculpar com todos os lordes aqui também. Não tenho a intenção de desrespeitar alguém aqui.”

Coloquei minha mão na minha testa, como se estivesse tremendamente me arrependendo da declaração que acabei de fazer.

Exuberância e honestidade são duas coisas diferentes. Exuberância é o ato de ser assertivo e ser um incômodo. Por outro lado, honestidade é o ato de se cozinhar para ser de melhor gosto aos outros. Como se estivesse dizendo ‘me saboreiem’.

As pessoas gostam de indivíduos modestos e honestos. Se eu me comportar bem de vez em quando, então o outro lado também não me considerará um incômodo. Com olhos de cachorro triste, mais uma vez olhei a audiência.

“Pessoal. Como vocês podem ver, não sou nada mais do que um tolo que não consegue manter sequer uma coisa preciosa na minha vida. Rank 71º. Sou um peixe-arroz sem nome e sem sequer um título ou feito louvável…essa é minha verdadeira essência.”

“…”

“Entretanto, mesmo sendo assim, não espanquei idosos para fugir das minhas contas. Não assaltei 327 civis inocentes, e não matei 54 pessoas dentre esses.”

Cortei o volume da minha voz por um bom tanto.

Antes de eu perceber, o salão de bailes estava em silêncio.

“…isso foi no décimo sexto dia do oitavo mês. Sendo mais preciso, quatro dias atrás. Ouvi de longe o som de um idoso chorando. E nesse momento, fiz contato visual com Andromalius. Vossa Majestade Paimon. Você, porventura, sabe o que esse cara falou no momento em que me viu?”

“…abaixe seu olhar, é o que ouvi de uma testemunha.”

“Sendo mais preciso, foi ‘O que você supostamente deveria ser? Não vai abaixar seus olhos?’.”

Várias pessoas ao meu redor estalaram suas línguas.

Fiz um sorriso amargo.

“O que aconteceu depois foi ainda mais impressionante. Andromalius veio até onde eu estava e assaltou minhas escoltas. Eu respeitosamente o avisei para parar. E mesmo assim, Andromalius não escutou. Então ele procedeu em bater na minha amante, que também é minha vassalo, e a tacou no chão.”

E então supliquei.

“Vossa Majestade Paimon. O que eu supostamente deveria fazer nessa situação? Deveria ter demitido minhas escoltas e me permitido entrar em perigo? Ou deveria ficar parado e assistido minha amante sendo espancada e coberta por sujeira?”

“…”

Paimon não respondeu.

A sensível e culta Paimon não podia agir audaciosamente aqui. Sua boca parou porque foi pega no seu próprio senso de justiça. Ela se deu xeque-mate.

Agora.

O tempo de atendimento para mostrar humildade e agir bonitinho acabou.

Eu lentamente aumentei o volume da minha voz.

“Direi mais uma vez, pessoal. Andromalius. Ele era um vira-lata que sequer merecia o direito de ser chamado de Lorde Demônio. Não são os civis inocentes sacrificados que mereciam ser consolados? Não são eles as verdadeiras vítimas que mereciam ser recompensadas?”

Desencadeando simpatia.

“A reputação de todos os Lordes Demônios piorou por causa de parasitas como Andromalius. Andromalius não era algo como família! Se for realmente pela nossa raça! Não deveríamos seguir o formato de sacrificar 71 pessoas por 1 homem. Deveríamos seguir o formato de nos livrarmos de 1 homem por 71 pessoas!”

Fazê-lo de um inimigo público.

“Assim, gostaria de perguntar. Vossa Majestade Paimon. Você ainda considera Andromalius como família? Você ainda continuará protegendo aquela larva do Andromalius, até o fim, enquanto descartando o resto de sua raça?”

Uma forte ameaça.

Usando todos os tipos de técnicas retóricas.

Encarei a Paimon.

“Vossa Majestade. Responda por favor.”

“Esta dama…”

Paimon firmemente fechou seus lábios.

Uma quietude aterrorizante dominou o salão de bailes.

E então.

Clap.

Um aplauso pôde ser ouvido.

Barbatos estava batendo palmas. Pessoas estavam olhando para a Barbatos com rostos pálidos. Vendo isso, Barbatos inclinou sua cabeça e sorriu.

“O quê? As palavras dele estão certas.”

“…”

“Eu também, honestamente, queria matar Andromalius já faz um tempo. Mas aquela larva de moleque fez relativamente bem em se manter fora do meu alcance. Bom trabalho, novato. Obrigado por se dar o trabalho de exterminar aquele parasita por nós.”

Barbatos continuou batendo palmas.

E, seguindo o exemplo, pessoas começaram a aplaudir também, uma ou duas pessoas por vez. Até que a maioria dos Lordes Demônio estavam dando uma ovação. A quantidade de Lordes Demônio que não bateu palmas e simplesmente me encarou foi de 10. Provavelmente são os seguidores da Paimon.

 

[Sua performance perversa cativou as pessoas.]

[A afeição do Lorde Demônio Marbas subiu por 1.]

[A afeição da Lorde Demônio Barbatos subiu por 2.]

[A afeição do Lorde Demônio Zepar subiu por 2.]

 

Desculpe-me dizer, mas vocês foram reduzidos para a minoria.

Os julgamentos de audições são feitos puramente através da lógica da maioria, e infelizmente, uma estratégia institucional que mostra consideração para a minoria não existe. Esse é o limite do sistema político primitivo. Se você achar injusto, vá criar uma democracia. Também, comece a Revolução Francesa enquanto está nisso. Por mais que eu sinta que há uma grande chance que guilhotinas cortariam cabeças de Lordes Demônio, ó céus. Há uma regra que progressão era seguido pelo sacrifício da minoria. Apenas aceite seu destino.

“Silêncio. Eu disse que a intervenção de terceiros está proibido.”

Marbas severamente advertiu a todos para ficarem quietos.

“Especialmente você, Barbatos. Os aplausos de agora foi uma ação para interferir propositalmente com a audição. Não faça novamente.”

“Me desculpe sobre isso, velhote. Apenas estava puramente movida. Já se faz um bom tempo desde que alguém útil se arrastou para fora dos rankings baixos, normalmente são todos lixo. Não tinha a intenção de insultar o prestígio da audição.”

“Não ligo para suas intenções. Ligo apenas para os resultados das ações. Barbatos. Enquanto não estivermos em uma relação, não acha que seria apenas desperdício de tempo considerar a intenção do outro?”

“Hm? Você acabou de se confessar indiretamente para mim, velhote?”

“Se você se calar neste instante, então amor talvez se desabroche.”

“O que é isto? Não posso perder a chance de conseguir um namorado pela primeira vez em 500 anos.”

Barbatos encolheu seus ombros, brincando.

Consegui entender o básico da relação entre estes dois. Barbatos é a irmãzinha travessa incurável, enquanto Marbas é o irmão mais velho que precisa lidar com o constante estresse de resolver cada palhaçada imatura de sua irmã. Aquele que recebe a maior parte das perdas nesta relação, é sem dúvidas o irmão. Eu sei bem já que tive a experiência de lidar com 6 irmãs mais novas. Você tem minhas condolências, Marbas.

Marbas, como se estivesse encolhendo seus ombros, balançou sua cabeça para os lados.

“Devo terminar esta audição aqui. Como disse antes, nos decidiremos quem está certo através do voto majoritário. Agora, levantando as mãos…”

“Espere um momento.”

Paimon falou com pressa.

Marbas levantou uma sobrancelha.

“O que é? Há mais algo que você gostaria de falar?”

“Sim, ainda há algumas perguntas que esta dama gostaria de inquirir a Dantalian.”

“Paimon…”

Marbas tirou seu monóculo e limpou-o com um lenço.

A voz de Marbas ficou suave, como se estivesse falando com um velho camarada.

“Você e eu passamos os últimos 500 anos nos conhecendo. 500 anos é bastante tempo, não acha?”

“…definitivamente foram tempos difíceis, Marbas.”

“Como você me conhecerá, eu também te conhecerei. Confessarei honestamente porque não escondi meu humor durante esta audição. Paimon. Eu sei muito bem que você nunca sinceramente protegeria alguém como o Andromalius. Se alguma coisa, seria o completo oposto. Seria apenas normal você desprezar alguém como ele.”

Paimon ficou quieta.

Marbas, depois de terminar de limpar seu monóculo, o colocou de novo. A moldura dourada de seu monóculo silenciosamente refletiu a luz de uma vela.

“Hoje é A Noite de Santa Valburga, Paimon. A Noite de Santa Valburga. Antigamente era obrigatório a presença de todos os Lordes Demônio nesta reunião, mas agora já perdeu sua virtude precedente e mal conseguimos reunir a maioria. Baal, Agares, Vassago e Gamigin… Neste momento em que o continente inteiro está lutando contra uma peste sem precedentes, onde estão todos os Lordes Demônio de posições mais altas que a minha, e o que estão fazendo?”

Paimon abaixou sua cabeça.

“Marbas. Mais do que qualquer outro, você é o mais comprometido com a raça demoníaca. Esta dama expressa seu sincero respeito por você. ”

“Temos respeito mútuo. Sendo assim, os Lordes Demônio que não compareceram nesta reunião— aqueles que estão em algum lugar do mundo dos demônios, indiferentes e preocupados apenas com seu próprio prazer, vamos evitar a situação onde somos motivo de risada desses.”

Marbas falou.

“Apenas a pretensão que alguém tentou proteger Andromalius durante A Noite de Santa Valburga já é mais que suficiente motivo para pessoas nos ridicularizarem. Ó céus, já consigo ouvir a risada de Agares nos ridicularizando. Lhe peço francamente. Por favor, não piore ainda mais este predicamento.”

Paimon mordeu seus lábios.

“…dê outra chance para esta dama.”

Ela colocou sua mão direita em seu peito e se curvou profundamente.

“Por favor, dê-me uma última chance.”

Marbas acariciou sua barba.

A Lorde Demônio de rank 9º ainda está abaixando sua cabeça mesmo depois de ouvir o discurso de Marbas. Provavelmente seria difícil para Marbas continuar forçando seus ideais. É um problema de manter compostura e formalidade. Eventualmente, Marbas acenou com a cabeça.

“Hm.”

Exceto, você não falará nada além disso. Faça o que quiser, mas não espere minha ajuda depois. Continha esse tipo de significado.

Paimon respondeu acenando com a cabeça e olhou para mim.

“Dantalian.”

A primeira rodada acabou.

Ela deu um olhar como se estivesse me dizendo que segunda rodada estava genuinamente para começar.

Falei calmamente.

“Vossa Majestade Paimon. Há algo que desejo dizer antecipadamente.”

“Diga.”

“Não tenho quaisquer emoção em relação a Vossa Majestade Paimon.”

Paimon franziu as celhas.

“O que você quer dizer?”

“Mesmo com Vossa Majestade criticando o incidente de Andromalius, entendo Vossa Majestade. No fim, não segurarei rancor.”

Apesar de tudo, ela ainda é uma indivídua culta e sensível.

Além disso, ela equipou um esplêndido par de seios em seu peito. Eu admiro o universo, venero as leis da natureza, e louvo seios bonitos. Paimon, ainda não está tarde para parar.

Fiz um sorriso suave.

“Podemos brindar neste instante e reconciliar.”

Pare por aqui.

Se não quiser ser dilacerada por presas e sangrar, esta é sua última chance.

Porém.

“Esta dama solicitou esta audiência para distinguirmos o que é certo e errado. Não vim aqui para beber vinho com você.”

Respondendo ao meu conselho, Paimon mostrou uma expressão de claro descontentamento. Como se estivesse incomodada pelo fato que alguém de meramente rank 71º falara isso.

Acenei várias vezes com a cabeça para mostrar que entendi.

Ocasionalmente eu suspeitava que estava falando em um idioma estrangeiro. Significando assim que tenho um sistema de linguagem completamente diferente do resto. Não sei porque, conseguimos nos entender, mas era meramente uma sorte numa chance astronômica, e na verdade estamos falando dois idiomas completamente diferentes. Por exemplo, se eu dissesse ‘se você não quer ver sangue, pare agora’, no idioma deles seria ‘por favor, me soque na cara’.

Considero fortemente esta hipótese.

Dei esse tipo de aviso centenas de vezes pela minha vida inteira, mas como alguém explicaria o fato que sequer uma pessoa respeitou tal aviso? Sempre há uma justificável razão porque me tornei NEET.

Eu sou a forma de vida inteligente que nasceu de milagre por chances astronômicas e harmonia pré-estabelecida.

‘Não fale besteiras, irmão.’

‘Irmão não é nada além de um covarde de qualidade ruim.’

Claro, há outras pessoas que empurravam suas próprias hipóteses.

Como um professor obstinado de alguma academia que usou sua autoridade para reprimir uma teoria original, eu também ouvi as reclamações da Paimon sem falar uma palavra.

“…esta dama contratou um executivo da Firma Keuncuska como consultante exclusivo já faz um tempo. Esse executivo, não muito tempo atrás, contou esta dama sobre notícias bastante alarmantes.”

Aha.

Então há um mensageiro indo aqui e ali entre Ivar Lodbrok e Paimon. Que inteligente. Desde tempos antigos, era apenas apropriado para intrigantes excepcionais não irem pessoalmente, mas usarem subordinados. É por isso que contratei uma súcubo charmosa e competente recentemente. É óbvio, já que sou o maior intrigante de todos.

“Esta dama acredita que ela não precisa informar a todos sobre a calamidade recente que está varrendo o continente. A Peste Negra, esta terrível maldição está tomando as vidas de ambos humanos e demônios indiscriminadamente…”

Adicionando, também está abundantemente enchendo meu cofre.

Olá, pessoas do continente. Gostaria de falar algumas palavras de conforto às pessoas que estão enfrentando a Peste Negra. Não se preocupem. Com um simples pagamento de 10 moedas de ouro, você poderá obter a cura da doença, a Erva Negra. Salve sua vida com dinheiro.

Não considero isto algo malicioso. Se acontecesse de acordo com a história original de Dungeon Attack, a descoberta da cura supostamente aconteceria apenas no ano 1507, dois anos daqui. Pessoas morreriam impotentemente nesses dois anos.

Agora as pessoas já sabem dos efeitos da Erva Negra, graças a mim. Exceto, já que tenho um monopólio dela, as únicas pessoas capazes de comprar são a minoria; nobres, ricos e famílias burgueses. Pretendo manter este preço por pelo menos 1 ano.

A maioria dos plebes que não conseguirem o dinheiro morrerão. Nesta calamidade global, apenas os nobres e ricos sobreviverão.

Claro, pessoas me desdenhariam.

Como a Paimon está fazendo agora.

Está tudo bem em me xingar e me chamar de demônio arranca-dinheiro.

Meu plano é mais profundo do que eles possivelmente imaginam.

Apesar de eu ser assim, ainda planejo manter meus deveres civis como pessoa. De todas as pessoas neste mundo, é um dever que apenas eu posso fazer.

“…graças a pequenas misericórdias, existe uma cura. Pessoal. Vocês, porventura, sabem quem foi a primeira pessoa a descobrir que a Erva Negra pode curar a doença? É este Dantalian aqui. Isso é o que o executivo da Firma Keuncuska contou para esta dama.”

Pessoas começaram uma comoção.

Paimon estimulou sua voz.

“Isso não é tudo. Dantalian comprou 30 mil Ervas Negra antes da peste sequer ter acontecido. Esta dama não consegue entender esta parte.”

“…”

“Dantalian. Você não só sabia que a Peste Negra espalharia, mas foi além disso e também sabia de sua cura. A cura da doença que espalhou pela primeira vez na história.”

Paimon levantou seu leque emplumado e apontou para mim.

“Como alguém conseguiria explicar isto? A resposta é simples. Dantalian, você é o verdadeiro culpado que disseminou a Peste Negra!”

O voz aguda de Paimon sacudiu o teto.

A comoção aumentou. O salão de bailes, de um jeito ruim, começou a ficar barulhento. O que a Paimon disse é verdade? Alguém artificialmente criou a Peste Negra…? Senti como se as pessoas estivessem me olhando como se estivessem me reprimindo.

“Paimon. Difamação não é permitido nesta audiência.”

Marbas falou em uma voz severa.

“A acusação que Dantalian é o culpado por ter disseminado a doença. Você está afirmando isto em possessão de prova incontestável?”

“Dantalian, como esta dama, tinha uma consultante exclusiva da Firma Keuncuska. O procedimento das compras das ervas foi feito através dessa consultante. Os detalhes como Dantalian comprou a cura, tudo pode certamente ser confirmado aqui!”

O clamor no salão de bailes ficou mais intenso por causa da resposta definitiva de Paimon.

Marbas fez um rosto retorcido e virou seu olhar, e nesse lugar estava o representante da Firma Keuncuska. O vampiro Ivar Lodbrok estava de pé com uma bengala em sua mão.

“Vampiro. É a alegada declaração de Paimon a verdade?”

“Ó, honorável Marbas.”

O velho vampiro abaixou sua cabeça.

“Este, por causa de uma mente temerosa, não consegue porém hesitar em julgar se algo é verdade ou não. Entretanto, se Vossa Majestade ordenar, este pode trazer a evidência necessária para esta discussão sempre que desejado.”

“Você está dizendo que pode apresentar a evidência neste instante?”

“Por favor, ordene este, e este deverá apresentá-la prontamente.”

A gritaria ficou ainda mais alta.

‘É tudo verdade então?’, a suspeita que começou a se espalhar.

As pessoas aqui provavelmente estão pensando nisso. Paimon e Ivar são indivíduos com uma quantidade imensa de autoridade. Claro, estes dois não insistiriam teimosamente que a peste foi disseminada artificialmente sem nenhuma razão. Eles têm algum tipo de evidência…e assim, as pessoas estão me encarando como resultado. Seus olhares estão cheios de suspeitas.

Foi neste momento que uma risada pôde ser ouvida.

No começo não conseguia dizer quem estava rindo. Era peculiar. Ainda estava dividindo minha concentração para focar em todos os 65 membros no salão de bailes. Não conseguia ver sequer uma pessoa que estava rindo, e mesmo assim a risada ficou mais alta, e por algum motivo os olhos que estavam me encarando estavam se arregalando.

Foi assim que percebi que a risada estava vindo de minha própria boca. Posso te garantir, isso não era uma atuação. Não conseguia parar de rir.

Falei com uma voz ainda cheio de risadas.

“No máximo, fiz meu melhor e aguentei minha preguiça. Poderia simplesmente não ter ligado para algo como uma peste e ter deixado de lado. É por isso que estou cansado. É determinado que a recompensa por benevolência é sempre rancor. Sério, seja esse mundo ou este mundo, os métodos de todos os mundos são sempre o mesmo…”

“…do que você está falando, Dantalian?”

“Perdoe-me, Vossa Majestade Paimon. E aos meus compatriotas. Eu testemunhei uma parte do universo, então estava profundamente movido por um momento. Não importa onde, pessoas não mudam. Minha decisão de me trancar na caverna foi definitivamente a escolha certa.”

Platão estava errado.

Pessoas são capazes de escavarem mais adentro da caverna.

Significa que não é uma rua de sentido único para evitar pessoas. [NT: Alegoria da Caverna]

Colocando um sorriso em meus lábios, me virei para o Marbas.

“Ó, honorável Marbas. Eu, claro, gostaria de declarar minha inocência. É por isso que você não poderia me permitir ter uma breve conversa privada com o chefe da Firma Keuncuska por um momento?”

“Uma conversa privada?”

“Não há do que se preocupar. Posso ter dito uma conversa privada, mas não será nada mais do que algumas linhas. Porque o executivo chefe da Firma Keuncuska está suspeitando de mim, tenho uma ideia geral do que pode ser. Apenas quero ver se consigo resolver este mal-entendido. Não tomará tempo.”

Marbas acenou com a cabeça.

“Se é apenas isso, então não há problema. Permitirei.”

“Sinceramente lhe agradeço.”

Gesticulei para Ivar Lodbrok se aproximar de mim.

Ivar Lodbrok, cabisbaixo, se apressou enquanto via em minha direção. O vampiro com uma notável capacidade de atuação e esplêndido disfarce imediatamente se desculpou logo que se aproximou.

“Meus perdões, Vossa Majestade. É a regra de nossa firma sobre transparecer ao público certos tipos de informação, se algum de nossos clientes solicitar. Independentemente da conclusão que chegarmos nesta Noite de Santa Valburga, este jura que a Firma Keuncuska auxiliará Vossa Majestade Dantalian até o fim.”

“Palavras tranquilizadoras, de fato.”

Dei uma risada.

Em contrapartida, a expressão de Ivar Lodbrok estava incrivelmente severa. Ria um pouco. Um Lorde Demônio como eu estava rindo. Se você compartilhasse de sua diversão, então seria o dobro. É apenas cortesia seguir o ritmo do outro lado.

Bom, desde o começo, este vampiro perdeu todo o conceito de etiqueta? Tudo bem. Não particularmente desgosto de ensinar os outros. Devo pacientemente e sinceramente educá-lo.

“É uma pena que nosso primeiro encontro foi nesta situação.”

“Este acha o mesmo, Vossa Majestade. Se significa reganhar a honra de Vossa Majestade, então este, Ivar Lodbrok, deverá arrastar este corpo velho e fazer o que for necessário para auxiliar Vossa Majestade.”

“Corpo velho. Hm. Corpo velho, é isso?”

Eu arreganhei.

“Me desculpe, chefe. Mas não te considero velho.”

“Perdão?”

“Você aparenta estar cheio de juventude para mim.”

“Isso…este aprecia as palavras gentis de Vossa Majestade.”

Ivar Lodbrok fez uma expressão de confuso. Como se estivesse se perguntando porque eu estava repentinamente o elogiando nesta situação. Parece que nosso vampiro é um certo lerdo. Pelo menos é o tipo de estudante que tutores não gostam de ensinar. O tipo de estudante que precisa de 1 hora para entender apenas uma equação matemática. Se fosse eu, não faria isso se não recebesse ao menos 100 mil won por hora para ensinar este tipo de estudante. Mas para esta ocasião, acho que farei de graça.

“Não, não. Quero dizer que estou realmente com inveja de sua juventude.”

“…?”

Ele ainda não entendeu?

Sou um professor bem paciente. Se eu explicasse calmamente cada parte, tenho certeza que sou capaz de fazer até mesmo um estudante falho conseguir uma grande descoberta moral e ser proficiente em um único assunto. Não jogo fora tão facilmente minhas esperanças por pessoas.

Então, me inclinei.

Movi minha boca para perto da orelha de Ivar Lodbrok.

Enchendo toda e cada palavra com a boa vontade de meu coração—

Suavemente sussurrei.

“Estou curioso para saber como seu corpo verdadeiro está.”

“……”

Silêncio.

Choque mudo.

Foi vividamente transmitido que a outra pessoa caiu numa angústia silenciosa.

Eu gosto muito deste tipo de quietude. Finalmente, meu coitado estudante entendeu as leis da natureza graças a mim. Como o professor que deu seu melhor para ensinar seu estudante, poderia apenas ficar orgulhoso.

Até mesmo o nome desta lei é sincera.

A lei da selva.

Percebendo quem é o caçador e quem é a presa.

Fazê-los se arrependerem pela irresponsabilidade de terem despenado a juba de um leão.

Sempre que faço tolos, aqueles que acreditavam ser as pessoas no poder, percebem que não são nada mais do que tripas de porco no topo de uma grelha. Sentia como se estivesse contribuindo para a natureza de todas as coisas neste vasto universo, e me fazia satisfeito. Não seria estranho se eu dissesse que é um dos meus poucos prazeres na minha vida.

“Como, o quê…”

A voz de Ivar Lodbrok tremeu.

“Como, você sabe…?”

“Seu cabelo loiro é bem bonito.”

Outro amável silêncio dominou.

Ivar Lodbrok.

Não tem como eu não saber da identidade deste velho cavalheiro.

Dungeon Attack é um jogo da perspectiva do herói humano. É por isso que o herói não conseguia ter uma relação próxima dos demônios. Você saiu matando um monte de demônios por aí de qualquer jeito, então quem iria querer tal coisa?

Independentemente, uma única heroína vampira se renderia ao herói. Ela superaria a diferença racial e se apaixonaria pelo herói. Até mesmo havia uma rota especial feita especialmente para ela.

O nome da heroína, Ivar Lodbrok.

É isso.

A verdadeira identidade deste velho cavalheiro com uma aparência doentia é de uma heroína cujo crescimento parou para sempre, fazendo sua aparência de uma jovem garota.

É por isso que estava surpreso quando vi este velho pela primeira vez, já que sua aparência era completamente diferente da personagem do jogo.

—Aquele é Ivar Lodbrok?

—Sim. Aquele homem é a pessoa mais rica do mundo dos demônios, dono da Firma de Keuncuska, e um autêntico vampiro, Ivar Lodbrok.

Consegui entender a maior parte das circunstâncias secretas.

De acordo com os cenários revelados em Dungeon Attack, a história de Ivar Lodbrok era tipo: Ela era incrivelmente leal para um certo Lorde Demônio, mas foi repentinamente traída por esse mesmo Lorde Demônio que estava servindo e enfrentou uma situação de quase-morte. Depois, Ivar Lodbrok jurou que nunca mais seria usada por um Lorde Demônio novamente, e para conseguir realizar esse objetivo, ela começou a viver movendo sua consciências através de bonecas, enquanto amaldiçoando e desprezando todo Lorde Demônio.

Ivar Lodbrok traiu As Forças Aliadas dos Lordes Demônio em um momento decisivo, e foi um dos motivos principais no porque as forças do herói conseguiram obter a vitória. É um caso exemplário mostrando que nunca é tarde demais para uma pessoa nobre conseguir sua vingança, mesmo se for necessário 100 anos.

Como alguém que jogou por todos os cenários de Ivar Lodbrok e sua rota específica— eu, claro, conheço sua aparência real, e também conheço muito bem o fato que seu corpo real está escondido embaixo dos campos nevados do reino de Moscou.

É um segredo que Ivar sussurrou apenas para o herói.

Já que o herói supostamente não deveria aparecer até o ano 1515 do calendário do Império, nos tempos de agora, era uma tragédia que ninguém supostamente deveria saber.

Exceto por mim.

“Não estou preocupado por algo como seu corpo velho. Estou meramente preocupado pelo corpo da garota enterrado nos campos nevados devastados por nevascas…”

“…”

“Aah, estou realmente preocupado. Temo que lobos podem repentinamente aparecer e rasgar afora seus membros. E quem sabe quando ladrões perversos de montanhas podem aparecer e violar seu corpo como quiserem. É isso. Por exemplo, se eu der um pequeno sinal.”

Estalei os dedos.

“Há a possibilidade que um certo sinal mágico fosse mandado e uma calamidade caísse no frágil corpo dessa garota. Como um pequeno choro causando uma enorme avalanche. Chefe, não se preocupe tanto. Está tudo bem em não me olhar com esses olhos assustadores! Apenas estou apontando possibilidades.”

O corpo de Ivar Lodbrok estava tremendo imensamente.

Acho que não deve ter problema em parar de ameaçá-lo com este tom meio-termo.

Mudei meu tom sarcástico para um claro tom ameaçante.

“Ó, vampiro coitado. Ficou nervoso ao pensar que Lapis Lazuli te traiu? ‘Vou pisar nesta criança que ousou mostrar suas presas para mim’. Você fez esse tipo de decisão? Ahh, Lodbrok. Meu pobre amigo.”

Eu ri.

“Você firmemente pensou errado. Você estava errado. Lapis Lazuli não me caçou. Claro, ela é uma criança bem admirável, mas ela é capaz de planejar este tipo de comédia magnificente…?”

Eu cacei ela.

Gentilmente sussurrei no ouvido de Ivar Lodbrok.

“Do começo ao fim, foi um mal-entendido idiota. Lapis Lazuli jurou sua lealdade a você. Mas já que ela é uma criança capaz, entendia muito bem que, se retornasse à firma, então sob falsa acusação seria purgada. Se essa garota não é a pessoa realmente miserável nisto, então não sei quem é. Tudo porque um único morcego bastardo, que viveu acreditando ser um gênio, a transformou em uma exilada.”

A tremedeira de Ivar Lodbrok ficou mais violento.

Eu gentilmente coloquei minha mão sobre seu ombro.

“Graças a suas suposições erradas, passei por menos problemas. Lapis Lazuli é uma criança esplêndida. Lhe dou minha gratidão.”

“O que…o que Vossa Majestade quer deste…?”

“Oh. Quero apenas um pouco de gentileza.”

Segurei firmemente o ombro de Ivar Lodbrok.

“Eu realmente não soltei algo como a Peste Negra. Tudo que você precisa fazer é testemunhar a verdade. Só isso.”

Não apresente evidência que fará a declaração de Paimon ser mais persuasiva.

Foi uma ameaça contendo esse significado.

“Bom…claro, você também ocasionalmente se moverá como minha marionete. Um preço que segue derrota, afinal de contas. Chefe. Sou uma pessoa honesta. Não falarei coisas hipócritas entre nós, como dizer coisas reconfortantes como não haverá mais infortúnio a partir de agora, e que está tudo bem em relaxar. Não acha que essa hipocrisia seria descortesia?”

“…”

“Muitas coisas mudarão.”

De dentro dos seus ossos.

“Lhe darei várias propostas que você não poderá recusar, e você, na realidade, não conseguirá rejeitar nenhuma delas. Talvez você ocasionalmente sinta uma sensação de vergonha como se não fosse uma pessoa, mas como uma besta preso em um chiqueiro.”

Subindo sua espinha.

“Você ocasionalmente mostrará um espírito rebelde e resistirá contra mim. Devo lhe contar como responderia antecipadamente? Ah, não te matarei. Sério. Sequer baterei em você. Você tem minha palavra. O que irei fazer…”

Até seu crânio.

“É despenar o cabelo de seu corpo real.”

Tudo será dominado por mim.

“Não pegarei muito. Sempre que você resistir, despenarei apenas um fio de cabelo. Despenar, deste jeito. Brincando deste jeito. É isso. O que acha? Conseguiu sentir como sou uma pessoa generosa?”

“…”

“Enquanto apreciando seu lindo rosto. Despena, despena, despena, despena…despena.”

Com um ‘hoo’, assoprei em seu ouvido.

Ivar Lodbrok estremeceu como uma folha de álamo.

É por isto que não consigo deixar de me desfrutar de ameaçar os outros.

“Hm. Já estou ansioso para quando você se rebelar contra mim. Não consigo esperar. Mas, aguentarei. Irei contentemente aguentar. Tenho uma enorme paciência, afinal de contas. Pode se sentir aliviado sobre isso.”

Ivar Lodbrok rangiu seus dentes.

“Este…não jurará lealdade para ninguém.”

“Melhor ainda.”

Dei uma batidinha no ombro de Ivar Lodbrok.

“Use esta oportunidade para aprender.”

“…”

“Pessoas devem continuar aprendendo mesmo quando velhas, sabe. Se alguém vadiar com sua própria educação, se tornarão falhas antes de perceberem . Uma pessoa deve apreciar e cuidar de seu próprio corpo. Não acha também?”

Ivar Lodbrok não conseguia responder.

Com este tanto, acredito que minha sinceridade conseguiu superar a barreira de línguas entre nós. Comunicação é algo esse tanto difícil. Precisar ameaçar para conseguir respeito, não é trágico? Quando Édipo apunhalou seus próprios olhos, provavelmente não estava tão triste como estou agora.

Corrigi minha postura.

Então, me virei para olhar o juiz, Marbas.

“Ó, honorável Marbas. Nossa conversa terminou. Não tenho objeções sobre continuar os procedimentos da audição.”

“Muito bem. Paimon, agora prove a autenticidade de sua acusação.”

A audição resumiu.

Paimon, com uma voz confidente, chamou Ivar Lodbrok.

“Entendido. Lodbrok, mostre a evidência por favor.”

“…”

“Lodbrok?”

Um silêncio aterrorizador continuou.

Ivar Lodbrok não levantou sua cabeça desde então. Paimon chamou por seu nome várias vezes, mas ele continuou impassível. Por causa do silêncio inesperado, uma compleição de desespero apareceu no rosto de Paimon. Junto ao silêncio contínuo, sua perplexidade começou a lentamente espalhar às pessoas ao seu arredor, até que eventualmente o salão inteiro foi dominado pelo silêncio peculiar.

Finalmente, Ivar Lodbrok abriu sua boca.

“…a declaração de Vossa Majestade Paimon, é mentira.”

Foi baixo.

Foi incrivelmente baixo.

O salão não estava calmo porque entenderam o que Ivar Lodbrok disse. Era o completo oposto. Era porque sequer uma pessoa o ouviu, então não havia resposta.

“O que você disse—”

Assim, as primeiras palavras foram de desentendimento.

“O que você acabou de dizer?”

“Este. Disse que este não pode submeter a evidência que Vossa Majestade Paimon solicitou.”

“O que você está tentando dizer…você enlouqueceu, Lodbrok!”

Paimon rugiu.

O silêncio que dominou o salão rapidamente se quebrou. Como uma maré alta repentinamente se tornando numa tsunami em uma praia calma, a raiva sem limites de Paimon começou a vazar. O orgulho em seu rosto já foi levado pelas ondas há muito tempo.

“Você contou a esta dama! Que Dantalian é o culpado que incitou a peste, e que a garota chamada Lapis lazuli é quem espalhou a Peste Negra! Você está tentando ridicularizar esta dama com essa sua língua insignificante!?”

“…meus perdões. Este não consegue entender sobre o que Vossa Majestade Paimon está falando. Já não se faz 10 anos desde que nos encontramos pessoalmente?”

Que lindo.

Assisti a briga com um suave sorriso.

Há algo sobre testemunhar pessoas continuamente deslocando sua responsabilidade para outros que me movia profundamente. Ah, eu realmente não deveria conviver com outras pessoas. Ah, me trancar e viver o resto de meus dias no canto do meu quarto é realmente o jeito certo de viver. Me lembra dessas lições de vida.

Você também está assistindo isto Lapis Lazuli, não está? Lhe prometi que mostraria a performance do melhor circo do mundo. De um lado está a nobre Lorde Demônio de rank 9º, e do outro lado está a pessoa mais rica do mundo dos demônios. E mesmo assim, ambos chegaram no ponto de infantilmente jogarem a responsabilidade no outro.

Para você, aquela que viveu sendo tratada injustamente por ser uma exilada, considero isto como o melhor estágio. Desfrute o quanto puder. Já que especialmente dirigi e gerenciei esta performance de graça. Apesar de eu ser assim, se eu alardear para meus subordinados, então serei o superior que fará extravagantemente. Está tudo bem em se sentir movida.

“Isso é óbvio já que você me contatou usando seu subordinado!”

“Este é incapaz de saber o que Torukel contou a Vossa Majestade Paimon. De qualquer jeito, há algo que este não sabe. Evidência que Vossa Majestade Dantalian teve qualquer envolvimento pessoal com a disseminação da doença.”

“Seu, morcego inferior e covarde…!”

O lindo rosto de Paimon estava contorcido. Mesmo podendo comparar sua beleza com uma peça de arte, sua imagem enraivecida é muito mais aterrorizadora.

“Que seja isso então. Pagarás sangue com sangue! Esse é o ditado de sua Firma Keuncuska, não é mesmo! Esta dama deverá muito bem honrar esse juramento…!”

Uma aura sanguinária começou a escoar do corpo de Paimon.

A concentração de energia mágica estava tão densa que era possível ver a forma e cor da aura. A oscilação da energia fazia parecer como se várias línguas vermelhas estivessem acenando intensamente.

Paimon não era apenas uma Lorde Demônio, ela também é alguém com o título de arquimago.

Dentre os Lordes Demônio que consistem de 71, é um feito alcançado por apenas 4 indivíduos, e ela é parte desses 4.

“Deverei agir a favor da vingança!”

Paimon gritou seu pronunciamento.

Um pronunciamento, neste mundo, é algo que é transmitido pela história em todas as áreas de poderes influentes. Estes são juramentos sagrados ditados por aqueles que utilizariam tudo, até mesmo sua própria vida, para executar esse juramento. Paimon pretende seriamente matar Ivar Lodbrok.

E então, Marbas pisou com seu pé direito.

Thud 

O salão de bailes inteiro tremeu.

Pessoas tropeçaram como se tivesse sido um pequeno terremoto.

Marbas, com ar ameaçadoramente frio ao seu redor, encarou Paimon.

“—cesse suas ações ofensivas imediatamente.”

Paimon fez uma expressão dolorida.

“Mas, Marbas!”

“Eu disse para parar neste instante. Você deveria estar vigilante de me forçar em recitar meu pronunciamento também, Paimon. Você é a pessoa que solicitou por uma última chance. Apenas para deixar isto claro, para mim, uma última chance significa um ultimato.”

“Euh…!”

Paimon fortemente rangiu seus dentes.

Sua energia mágica não parou, ao contrário, começou a intensificar.

“Agora mesmo, o executivo chefe de Keuncuska brincou com esta dama! Apesar do fato desse chefe ter ordenado seu subordinado, Torukel, para mostrar evidência a esta dama, agora ele está tentando desistir. Esta dama deverá imediatamente executar esse traidor!”

“Não importa quem seja!”

Marbas rugiu.

“Mesmo se Baal estivesse aqui, você não derramará sangue durante A Noite de Santa Valburga! Você preservará a neutralidade absoluta enquanto estiver aqui! Ao menos que você queira fazer todos os Lordes Demônio da facção neutra, incluindo 30 mil tropas de elite, em seu inimigo, continue e tente derramar sangue aqui, Paimon! Eu jurarei que nesse dia, a facção das montanhas que você comanda será aniquilada, e que a terra dos Lordes Demônio que fazem parte da sua facção será amaldiçoada por 300 anos, impedindo que sequer uma lâmina de grama cresça!”

Uma voz nervosa atravessou o salão de bailes como uma trovão.

As flutuando velas tremeram violentamente. Luz e escuridão caiu sobre as pessoas enquanto se misturavam caoticamente, e os pilares da construção soltaram poeira enquanto tremiam.

Pessoas encolheram. Estavam sendo oprimidos pela força de Marbas.

Dentre os mais de 30 Lordes Demônio aqui presentes, a quantidade de pessoas que mantiveram compostura foram poucas. A única que estava despreocupadamente bebendo vinho era Barbatos.

“Velhote—. Se precisar, nós da facção das planícies proveremos assistência sempre que quiser. Honestamente, você não se sente apreensivo em guerrilhar com apenas a facção neutra ao seu lado? Podemos fazer uma boa aliança.”

“Cale a boca, Barbatos. Não estou com disposição para brincadeiras.”

“Apenas estou mostrando minha boa vontade.”

Barbatos riu.

Diferente dela, a expressão de Paimon podia ser explicada apenas como horrendo. De seus lábios, respiração ofegante estava saindo como um coquetel de raiva e autocontrole.

“Torukel…!”

Paimon mordeu suas próprias palavras.

“Ele é o mensageiro que passou as ordens de Ivar Lodbrok. Ele está em prontidão do lado de fora. Convocarei-o imediatamente e provarei que Ivar Lodbrok ridicularizou esta dama!”

Um breve momento de um silêncio gelado atravessou pelo local.

Marbas tirou seu monóculo e fortemente encarou Paimon.

“Você está certa?”

“Esta dama está acusando apenas verdades.”

“…você está tomando minha fé final.”

Marbas levantou seu queixo.

“Tragam a testemunha conhecida como Torukel!”

As fadas, ao receberem a ordem, rapidamente saíram do salão de bailes.

Aah.

Estava submerso em tristeza.

Pense mais calmamente, Paimon. Quem quer que seja esse Torukel, ele ainda não é nada além de um mensageiro. Você não pode esperar ter um testemunho apropriado desse tipo de pessoa.

Eu entendo que você respeita todas as raças, incluindo humanos. Para você, a Peste Negra deve ser um pesadelo dentre pesadelos. Você provavelmente participou desta reunião enquanto resoluta em encontrar o culpado de tal tragédia. Mas a pessoa que você considerou como companheiro, Ivar Lodbrok, inesperadamente te traiu. É por isso que é sensato a raiva ter subido a sua cabeça. E mesmo assim, você ainda precisa olhar adiante. Raiva é apenas um atalho para a ruína.

Um pouco depois, um goblin velho entrou no salão de bailes.

Paimon apontou para o goblin.

“Sim. Essa pessoa é o Torukel!”

Ela começou seu interrogatório com uma voz ainda carregando raiva.

“Torukel. Você será nossa testemunha. Você, sob as ordens de Ivar Lodbrok, cumpriu a função de mensageiro. Correto?”

“…”

Torukel lentamente observou o salão.

O goblin estava se apoiando numa bengala. Sua testa pode ter inúmeras rugas, mas seus olhos brilham com intelecto. Tive a forte impressão de que ele não é velho, apenas viveu por bastante tempo.

O goblin olhou para Ivar Lodbrok por um breve momento e acenou com a cabeça. Nenhuma palavra foi falada.

Torukel cautelosamente abriu seus lábios.

“…é uma honra ser permitido na presença de todos estes Lordes Demônio. Este, sem dúvidas, é um executivo da Firma Keuncuska, e também de relações próximas com Ivar Lodbrok.”

Assim que Torukel prontamente revelou sua identidade, o rosto de Paimon brilhou em deleite. Ela provavelmente pensou que apanhou a vitória. Como uma metralhadora, ela começou a interrogá-lo rapidamente.

“Esta dama irá direta ao ponto, Torukel. Você disse a esta dama que Dantalian auxiliou na disseminação da peste, e que usando métodos desconhecidos, participou da criação da Peste Negra. Esta dama está correta?”

“Sim. Certamente, Vossa Majestade.”

A audiência começou a tumultuar mais uma vez.

Ivar Lodbrok firmemente fechou seus olhos como se estivesse aflito. Em contrapartida, Paimon, com um ar de triunfo, sorriu largamente. É a figura de alguém que superou ridicularização e dolorosamente materializou justiça.

Porém.

“O que Vossa Majestade disse está correto. Eu certamente aleguei que Dantalian era o criminoso por trás da Peste Negra. Entretanto, isso foi uma completa mentira. Foi uma calúnia sem nenhuma evidência.”

“O quê…?”

Não foram sequer 10 segundos para abalar o sólido sorriso de Paimon.

Torukel falou categoricamente.

“Este desejava as Ervas Negra em posse de Vossa Majestade Dantalian. Claro, seria impossível para este, sozinho, extorquir objetos pessoais de Vossa Majestade Dantalian. Porém, este estava em posse de dois grandes patrocinadores. Vossa Majestade Paimon e o chefe dos executivos, Ivar Lodbrok.”

“Torukel…mas, o que você está falando…?”

Paimon abriu a boca.

O rosto de completa descrença.

Torukel, usando sua bengala para se suportar, reverenciou profundamente.

“Perdoe-me. Este sabe muito bem do quanto Vossa Majestade se preocupa com as pessoas do continente. Este usou o coração misericordioso de Vossa Majestade para conseguir incitar ódio em relação a Vossa Majestade Dantalian. Vossa Majestade Dantalian é apenas de rank 71º de qualquer jeito. Este julgou que, assim que a audição começasse, tudo terminaria com o voto majoritário.”

“…”

“E assim aconteceu, Vossa Majestade Dantalian matou Vossa Majestade Andromalius, e desse jeito vi uma oportunidade de ouro. Ameaçar Vossa Majestade com o crime abominável de matar um Lorde Demônio. Usando essa chance, este planejou arrebatar todas as Ervas Negra. Mas Vossa Majestade Dantalian superou as expectativas deste e conseguiu provar sua inocência. Quão irritante…”

Torukel olhou rapidamente para mim.

Retornei o olhar com um rosto absolutamente sem emoções.

Involuntariamente, com um ‘tsk’, estalei minha língua. Entendi o que esse mercador velho estava basicamente tentando fazer. Estava tentando evitar a performance deste grande circo.

O juiz, Marbas, bruscamente inquiriu Torukel.

“Pequeno goblin. Você admitiu que ridicularizou Paimon para realizar seus próprios desejos egoístas. Você entende seus crimes?”

“Sim, Vossa Majestade. Este sabe quando admitir derrota. Este tentou lucrar usando Vossa Majestade Paimon e o executivo chefe da Firma Keuncuska. E eu falhei. Isso é tudo.”

O goblin sacudiu sua cabeça.

“Se há algo de errado nos feitos de Vossa Majestade, é ter acreditado neste velho e perverso goblin. Assim, toda a culpa está comigo— embora de nascimento humilde.”

Rapidamente.

Antes que qualquer um pudesse ter feito algo.

Torukel pegou uma pequena lâmina de suas roupas—

“Este deverá se desculpar com esta vida insignificante.”

—e apunhalou seu próprio pescoço.

 

▯Executivo da Keuncuska, Goblin Avarento, Torukel
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 8, Dia 20
Niflheim, Palácio do Governador 

Falhamos.

Sabia assim que entrei no salão de bailes.

Mesmo se eu não quisesse, quando Vossa Majestade Paimon, que supostamente deveria estar mostrando sua gentileza para mim, estava me encarando com um rosto terrivelmente contorcido. Não tinha outra escolha porém aceitar.

…estava preparado.

Mercadores devem sempre respeitar troca equivalente.

Mesmo com Lorde Demônio Dantalian sendo apenas de rank 71º, e mesmo se Lapis Lazuli fosse apenas uma mestiça exilada, eles também são pessoas que fazem o que for necessário para sobreviverem.

Vida por vida.

Você deve colocar sua própria vida em risco se quiser caçar outra.

Keruk.

Uma equação simples.

…sonhei por um mundo que não é controlado pela hierarquia.

Você estaria no auge da sociedade apenas por nascer Lorde Demônio. Se nascer entre um demônio e um humano, você seria tratado como lixo. Esse é o estado atual do mundo dos demônios. Queria mudar isto…

Embora alguns detalhes minúsculos fossem diferentes, Ivar Lodbrok também carrega o mesmo desejo. Neste mundo gasto, Ivar e eu estamos amarrados pela camaradagem.

Se tal deseja mudar o mundo, então tal precisa de dinheiro. É por isso que levamos a Firma Keuncuska para tão longe. Nas últimas centenas de anos, superamos incontáveis desafios e adversidades, e mal conseguimos alcançar a posição da melhor firma do mundo dos demônios…

Aaah.

Realmente queria ver.

Uma sociedade mais justa.

Apenas queria viver num lugar com menos preconceito.

…queria ver um mundo mais bonito.

“Kuruk!”

Consegui sentir o metal gelado penetrando meu pescoço.

Como esperado, conseguia vividamente sentir o sangue quente que estava pingando de minha lâmina.

Força rapidamente deixou meus joelhos. Meu corpo caiu lentamente, e aos poucos se aproximava da morte. Consegui sentir tudo isto claramente.

Ivar. Cuide do resto.

Não pude ver o mundo mudando, mas se for você, então deve conseguir viver até o fim. Você é assustadoramente astuto e inteligente afinal de contas.

Exceto, me preocupo que talvez não tenha alguém que consiga compreender sua loucura. Não fique sozinho. Algum dia você encontrará alguém que ficará ao seu lado novamente…

E finalmente, me virei para olhar Dantalian.

Não há nenhuma razão especial para isto. Minha linha de visão simplesmente se moveu para Dantalian coincidentemente enquanto eu caia.

“…!”

Ele estava inexpressivo.

Sua inexpressão não tinha limites.

Apesar de ter conseguido uma vitória surpreendente hoje, não havia sequer um sinal de Dantalian estar feliz ou em deleite. Parecia que ele não estava surpreso com meu suicídio. Como se estivesse óbvio— ele estava me olhando como se tivesse entendido completamente porque escolhi me matar.

Isso então…era isso então…!

Vendo essa expressão, entendi imediatamente. Lorde Demônio Dantalian não era uma simples presa. Lapis Lazuli traindo nossa firma, e o homicídio de Andromalius, tudo esquema desse homem. Não dava para saber exatamente os planos, mas esses olhos. Esses olhos de um assassino, superando lógica, eram mais que o suficiente para me convencer. Dantalian é o marioneteiro.

Aah, Ivar Lodbrok.

Do começo ao fim estávamos errado.

Adentramos o tabuleiro de xadrez sem saber quem era o nosso oponente. Por causa disto, não se é estranho porque perdemos tão horrivelmente. Você percebeu, Ivar? Do fato que esse homem é o verdadeiro perigo…

Queria abrir minha boca e avisar Ivar. Para ser cuidadoso sobre o Dantalian.

Mas respondendo meu receio, não tenho sequer um pingo de energia para mexer meus lábios. Rapidamente. Vida estava dispersando de meu corpo silenciosamente. A vista à minha frente desvaneceu.

Posso ter ter tido um lindo sonho, mas não consegui viver uma linda vida. Cometi uma boa quantidade de maldades. Não há dúvidas de que os Deuses me jogarão no Inferno…

Ó, misericordiosa Prosérpina.

Por favor, mostre piedade para esta pobre alma.

E então, fui encoberto pelo silêncio eterno…

 

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 8, Dia 20
Niflheim, Palácio do Governador 

A adaga facilmente perfurou a garganta do goblin velho.

A lâmina empalou através de seu fino pescoço e chegou até o outro lado.

O pequeno corpo do goblin caiu no chão com um baque.

Uma quietude dominou o local.

Sangue vermelho estava fluindo pelo salão de bailes.

“Ah…?”

Paimon estava.

“Ah…aah…?”

Paimon estava apenas olhando para o cadáver do goblin.

Esse goblin era um mercador que Paimon acreditou sem sequer um pingo de dúvida. Estava claro que, por um longo tempo, por realmente bastante tempo, estes dois já se conheciam.

Me pergunto se seus joelhos desistiram, mas Paimon caiu no chão. O sangramento vindo do pescoço do goblin formou um poço e as ourelas da saia de Paimon encharcaram de sangue.

“Aah…ah, aaah…”

Como uma gravação quebrada, ela repetitivamente soltou breves gemidos.

Uma conclusão que ela não poderia ter possivelmente previsto há 30 minutos. Paimon pode estar apenas gemendo, mas distintivamente entendi as emoções que flutuavam em seu coração.

É por isso que a adverti.

Para não atravessar o Rio Rubicão, e ao invés disso reconciliar com uma taça de vinho. Mas, sem perceber nada, Paimon levantou um cálice envenenado. Isso é provavelmente o que é uma tragédia.

Murmurei com uma voz que apenas eu conseguia ouvir.

“Arruinou meu humor…”

Você realmente causou um caos, seu goblin bastardo.

Pretendia dirigir uma comédia originalmente. Ivar Lodbrok e Paimon se acusariam. Se comportariam vergonhosamente e continuaram a jogar a responsabilidade no outro até que a conferência terminasse.

No fim, um lado teria sua honra danificada e cairia. Esse era o cenário que escrevi. Pessoas aplaudiriam imoderadamente para a performance do circos com um leão e um tigre lutando entre si. Entretanto, esse goblin foi uma variável que não esperava…

Torukel arcou com todos os erros de Ivar Lodbrok e Paimon, e os levou ao túmulo consigo. O mal-entendido de Paimon foi por causa da fraude de Torukel, e a desculpa de Ivar Lodbrok foi o excesso de adulação de Torukel.

Dois como vítimas. Um como assaltante. Exceto, palavras não virão de um cadáver. O dia que a verdade será revelada nunca chegará.

Eu sinceramente lhe respeito por essa sua resolução, goblin.

Ivar Lodbrok e Paimon me enfrentaram com uma mentalidade despreparada. Não arriscaram suas vidas. Mas você foi diferente. Você veio até mim com tudo que tinha. Diferente desses dois, você não se esqueceu da etiqueta apropriada.

Isso foi esplêndido.

Devo admitir. Pessoas como você são mais do que qualificadas para interferir com minha vida confortável.

“—devemos prosseguir com o levantamento de mãos da audiência.”

Marbas falou.

A única testemunha se matou e Paimon perdeu sua vontade. Ele deve ter julgado que não há motivo para continuar a audição mais do que isso.

“O primeiro problema é o caso de homicídio. O caso onde o rank 72º, Lorde Demônio Sem Nome Andromalius foi morto pelo rank 71º, Lorde Demônio Sem Nome Dantalian. O acusador demandou 100 mil Libra como compensação pelo homicídio de Andromalius cometido por Dantalian, e que o próprio Dantalian fosse aprisionado na Prisão Congelada por 15 anos.”

Marbas olhou por todo o local.

“Aqueles que acham que Dantalian é culpado levante sua mão direita, e as pessoas que acham que ele é inocente levante sua mão esquerda, e as pessoas abstendo não mecham suas mãos. As duas pessoas diretamente envolvidas, e eu que fiz o papel de mediador, não teremos os direitos de votar.”

Pessoas prontamente mexeram seus braços assim que Marbas terminou de explicar.

Dentre os 29 Lordes Demônio, aqueles que votaram culpado foram 9.

Aqueles que votaram inocente foram 19.

Marbas acenou com a cabeça.

“Declaro que Dantalian é inocente em relação ao primeiro caso.”

Com exceção dos seguidores de Paimon, quase todos os Lordes Demônio votaram inocente. Na verdade, foi uma vitória esmagadora. E mesmo assim, o gosto da vitória era amargo. Por causa do nobre sacrifício daquele goblin velho. Não estou excitado como antes…

“O segundo caso é sobre a Peste Negra. A acusadora alegou que Dantalian é o verdadeiro culpado na disseminação da peste. Aqueles que acham que isto é verdade, levantem sua mão esquerda, e aqueles que acham que é mentira, levantem sua mão direita.”

Aqueles que votaram culpado foram os mesmos 9 indivíduos.

As pessoas que votaram inocente foram 15.

“Sendo a maioria, declaro Dantalian inocente em relação ao segundo caso. Assim, pelo nome do rank 5º, o Lorde Demônio responsável pela nobreza, eu, Marbas, garanto para você, Dantalian, que está livre de todas as acusações. Aqueles que tiverem quaisquer objeção sobre este veredito devem manter em mente que estarão desafiando minha honra.”

Aplauso explodiu vindo de um dos Lordes Demônio. Foi Barbatos desta vez também. Ela estava até assoviando enquanto celebrava o veredito.

“Hahaha! Bem merecido, prostituta! Desde quando você começou a levantar seu nariz se achando toda superiora e poderosa, estive esperando para ver seu nariz ser esmagado! Já que chegamos até aqui, porque não passa um ‘tempo(屍姦)’ com esse goblin! Vocês provavelmente seriam um par perfeito na cama!” [NT: 屍姦 lido em coreano é a passagem do tempo, mas lido em chinês é necrofilia.]

…por mais que a direção da celebração estivesse horrendamente vulgar.

Paimon, de olhos desfocados, estava vagamente encarando o cadáver de Torukel. Para conseguir rir abertamente de uma mulher nesse estado, não são nervos normais, mas uma imensa brutalidade. É impressionante de outro jeito. Eu ganhei a certeza de que, se eu quiser manter uma vida pacífica, então é uma boa ideia em não me envolver com Barbatos.

Seus peitos são planos também.

Tão planos como os campos sibéricos—

Isso é importante, então enfatizei duas vezes.

Se você for uma pessoa coerente com refinamento, seria óbvio preferir maturidade sobre imaturidade, e abundância sobre deficiência. Complexo de lolita é uma doença mental, pessoal. Espero que vocês sejam capazes de irem no hospital psiquiátrico mais próximo e fazerem um exame completo de suicídio.

“Agora, devemos discutir sobre a punição de Paimon. Apesar de sua inocência, Paimon tentou te acusar. Tal deve pagar pela falha. Sugira o que você considera ser a melhor punição.”

“Uma penalidade, huh…”

Olhei para o chão.

No passado, controvérsia judicial tinha um sentido similar de um duelo. Colocando suas honras em risco, ambos lados lutavam sobre quem era culpado e inocente. Se o acusador perdesse, então teriam de receber a sentença que declararam. Significa que, se você quiser amaldiçoar alguém, então deverá escavar seu próprio túmulo primeiro. Um legado complicado do período medieval.

Nesta situação, Paimon teria de pagar uma multa de 100 mil ouro e ser confinada numa prisão por 15 anos. E mais uma vez, entendi a tamanha resolução que Paimon carregava enquanto se apresentava na audição. Então é assim. Pode não ser tanto quanto o goblin, mas Paimon também, de seu próprio jeito, estava preparada para tomar responsabilidade…

Então, repentinamente, uma janela de escolhas apareceu.

 

[1. Perdoar Paimon.]

[2. Repreender Paimon.]

 

Ver esta janela de escolhas aparecer, significa que é uma decisão crucial.

Similarmente como ter escolhido matar Andromalius, isto também é algo que mudaria grandemente a direção do mundo.

Marbas me pressionou com uma voz baixa.

“Dantalian.”

“…”

Olhei para o cadáver do goblin.

Torukel. Você não deixou um testamento. Mas o que você queria dizer foi claramente transmitido. Não importa o que, não deixar Ivar Lodbrok ou Paimon com problemas. Provavelmente seria essa suas palavras finais que não conseguiu soltar. A parte da vida assim chamada de sofrimento.

Assim expressando minhas condolências por você, suas palavras finais, deverei respeitá-las.

“Está tudo bem.”

“Perdão?”

“Disse que está tudo bem, honorável Marbas.”

Levantei meu rosto e o olhei.

Tinha um fraco sorriso em meus lábios. Para conseguir expressar cansaço. Bom, também já se faz um bom tempo desde que usei tanto assim minha cabeça, então estava um certo cansado.

“Mesmo comigo estando sobre falsa acusação e caluniação, Vossa Majestade Paimon também estava numa posição complicada de ter sido pega numa conspiração, não é? Como já foi provado por todos aqui, o verdadeiro culpado por trás de todos estes incidentes é esse goblin no chão. Ele foi um vilão inigualável. Entretanto, já que ele está morto, não há motivos para fazer outra pessoa tomar responsabilidade.”

“Em outras palavras…está dizendo que não demandará punição?”

“Sim, Vossa Senhoria. Como a pessoa diretamente envolvida na audição, e como a pessoa que sobreviveu o tribunal da justiça obtendo vitória, com meus direitos justos, devo solicitar isto. Rank 71º, Lorde Demônio Sem Nome Dantalian aqui solicita, para que Vossa Majestade Paimon não seja punida de nenhum jeito por causa deste incidente.”

Eu arreganhei.

“Em primeiro lugar, aqui é a sagrada Noite de Santa Valburga. Aqui não é um lugar para palavras vulgares como punição ou penalidade serem jogadas.”

As pessoas ao meu redor fizeram uma comoção. Provavelmente não imaginaram que a pessoa acusada faria algo tão agradável. Todos tinham a mesma expressão de surpresa. Por outro lado, assim que assisti o goblin se matar, não poderia estar mais calmo.

Não queria me tornar uma pessoa que anda por aí dizendo coisas como ‘reconhecimento’ e ‘respeito’ o tempo todo. Pensei em reconhecer Torukel o goblin. Decidi em respeitar sua vontade. Então devo mostrar através de ações.

Perdoar a Paimon aqui é, sem dúvidas, uma decisão política perigosa. No mundo político, tal poderia continuar tomando ações hostis apenas por ser inimigo. Hoje, independentemente da verdade, a relação entre mim e Paimon claramente se tornou ‘inimigos’. Mudar esta relação para algo diferente provavelmente precisará de uma quantidade considerável de trabalho cansativo. Talvez seja impossível.

Isso que é respeitar.

Proteger as palavras da pessoa mesmo se precisar aturar prejuízo.

Estou confidente que não sentirei angústia mesmo se eu passar por dificuldades por respeitar alguém.

Se eu usar o julgamento da minha segunda meia-irmã mais nova como base, então estou em posse de um cérebro diabólico

Se eu usar meu próprio julgamento como base, então sou um estudante modelo que sabe etiqueta.

“Honorável Marbas. A única coisa que este quer esta noite é uma simples taça de hidromel quente.”

 

[1. Perdoar Paimon.]

[2. Repreender Paimon.]

 

Assim que terminei de falar, a janela de escolhas evaporou.

Logo, a janela de escolhas foi substituída com novas linhas.

Cada letra foi desmantelada e reunida para formar novas palavras. Deu aquele sutil prazer como se estivesse assistindo peças de lego se montando por conta própria.

 

[Uma gentil e piedosa decisão!]

[O continente está impressionado com sua magnanimidade.]

[Fama aumentou substancialmente.]

 

As frases brilharam no meio do ar.

As palavras se quebraram em partículas brilhantes. Logo depois, depois de esvanecer pelo ar como um monte de pétalas, elas silenciosamente se foram para algum lugar.

“…”

Marbas estava me encarando. Seus olhos azuis lembram de um oceano sereno. Não desviei de seu olhar e fiz contato visual.

“Para conseguir colocar dever sobre ressentimento. Parece fácil em palavras, mas palavras têm a tendência de se tornarem difíceis de seguirem se forem curtas, e se tornam fáceis de cumprirem se forem longas. Não é algo que qualquer um consegue fazer. Também, a quantidade de pessoas que negam a oportunidade para legalmente desabafar mágoas são preciosamente poucas.”

Marbas acariciou meu ombro. Sua confiança foi transmitido através de sua mão.

“Você é excepcional, Dantalian. Como o anfitrião desta Noite de Santa Valburga, gostaria de agradecê-lo. Estou ansioso pelo dia que você conseguir se livrar de sua posição de Sem Nome e se tornar um monarca de grande título.”

 

[A afeição do Lorde Demônio Marbas subiu por 9.]

 

Ao invés de responder com palavras, abaixei minha cabeça.

Marbas disse que não acredita em conversas longas. Então ir além de curtas palavras e responder com silêncio é o apropriado para responder as crenças de Marbas. Marbas aparentemente entendeu minha intenção. Ele acenou com a cabeça e acariciou meu ombro mais uma vez.

“…porém, mesmo se não houver nenhuma punição oficial, seria irracional não ter sequer uma palavra de desculpas. Paimon.”

Marbas se virou para olhar Paimon. Ela ainda estava sentada enquanto atordoada ao lado do corpo do goblin. Era como uma boneca que teve todas suas cordas cortadas. Marbas falou com ela com um rosto dolorido.

“Se desculpe para Dantalian aqui.”

Paimon tremeu.

“…des, culpar…?”

“Sim. Essa é a responsabilidade que você deve carregar.”

“Mentiu…Torukel…ment, iu”

Paimon tentou se levantar, mas falhou. Seus joelhos estavam sem forças, então ela simplesmente escorregou. Paimon quase não conseguiu levantar sua cabeça para olhar para mim.

“Torukel…traiu, esta dama?”

Acenei com a cabeça.

“Isso mesmo. Vossa Majestade.”

“Inocente…?”

“Sim. Eu não criei a Peste Negra. Também não a disseminei propositalmente. Tudo um engano criado por aquele mercador, Torukel.”

Paimon lentamente abaixou sua cabeça. Houve um momento de silêncio. Não tinha métodos para saber o que ela está pensando. Logo depois, de ombros trêmulos, ela murmurou em uma voz bem baixa.

“…M…pe…”

Não conseguimos entender o que ela disse de cara. Como um radio quebrado, suas palavras sairiam e parariam, para assim reiniciar desde o começo. Isto se repetiu. O som de choro estava misturado como estática. Porém, Paimon repetiu suas palavras de novo e de novo, até eventualmente conseguirmos ouvi-la alto e claro.

“Me…des, culpe…”

Eram palavras de perdão.

Uma piscina de sangue se formou onde Paimon estava caída. Algo estava caindo ali. Eram as lágrimas de Paimon. Cada vez vez que uma lágrima colidia contra a poça carmesim, como um cristal caindo num lago, ondas gentis na forma de anéis se espalhavam.

“Me desculpe…”

“…”

“Me desculpe… Me desculpe…”

Um silêncio peculiar dominou o salão de bailes.

A voz de Paimon estava certamente baixa, mas parecia como se todos pudessem ouvir suas palavras.

Devia estar difícil continuar assistindo. Uma Lorde Demônio, que assumo ser uma das seguidoras de Paimon, correu e começou a ajudar a frágil mulher. Paimon foi fracamente puxada para fora por uma Lorde Demônio. Um grupo com acerca de 15 pessoas seguiu a Lorde Demônio para fora do salão. Ninguém tentou pará-los.

“Houveram várias complicações, mas.”

Querendo mudar de tópico, Marbas falou.

“Ainda não muda o fato de que hoje é A Noite de Santa Valburga. Embora ainda tenha algumas agendas sobrando, podemos empurrá-las para amanhã. Devo aceitar a sugestão de Barbatos e oferecer um drinque a todos aqui.”

Com um ‘clap’, Marbas bateu as mãos.

Assim, fadas vieram e começaram a servir uma enorme variedade de comidas e bebidas. Elfas vestindo uniformes de empregadas e casacos adentraram o local carregando cadeiras e mesas. O salão de bailes instantaneamente virou um salão de banquetes. Também tive a honra de ter hidromel servido diretamente do Marbas.

Pessoas de poder são raras. Pessoas de poder com senso comum são ainda mais raras, no ponto que deveriam ser anunciadas como uma espécie em perigo e serem avaliadas em nível EX nos gráficos. Eu, com o desejo de preservar as espécies raras da natureza, aceitei o cálice educadamente.

Pelo resto do dia, não houve a ocasião de Paimon aparecendo novamente.

 

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 8, Dia 21
Niflheim, Palácio do Governador

O banquete não terminou mesmo depois das meia-noite.

Nunca imaginei que Lordes Demônio bebiam tanto. Barbatos foi especialmente chocante. Ela pegou um jarro inteiro de álcool e bebeu tudo de uma vez só.

Pessoas gritavam e aplaudiam. Foi insano. Também, Barbatos aparentemente gostou de mim porque ela continuava me forçando a beber. Se eu tentasse recusar só um pouco, então ela diria ‘Aaang? Está tentando resistir o álcool que estou lhe concedendo?’ e se exaltaria. Não é uma pessoa barbárica?

Não conseguindo mais socializar com ela, secretamente me retirei para o corredor. Honestamente, queria escapar pelo portão da frente, mas teria a chance de ser pego pela Barbatos.

Sua aparência externa é de uma garotinha, mas para onde está indo isso todo esse álcool? Não consigo entender. Na minha opinião, cientistas deviam estudar seu estômago o mais cedo possível. Tenho certeza de que há um mini buraco negro ali… O problema é, a ciência neste mundo não está tão avançada. Como resultado, será impossível de sabermos. Um insolúvel mistério…

Minha mente estava em branco. Devo estar bêbado. Estou andando em um corredor vazio, e mesmo assim, tudo em minha frente parecia estar pulsando. Droga. Tudo porque aquela criança, nascida das planícies da Sibéria, disse “Irei lhe mostrar meu tesouro escondido.” e me forçou a beber uma mistura de 6 álcoois diferentes. O que ela quis dizer com “Pense nisto como uma honra. Não é qualquer um que pode provar isto.”? Vá beber até a morte…

Conseguia ouvir passos quietos atrás de mim. Me virando, vi que Lapis Lazuli estava de pé ali. Eu cortesmente abri meus braços.

“Ooh, Lala! Minha Lala! Seus olhos são como azure e sua voz é como um hino cantado em harmonia!”

Ehem.

Na realidade, abri meus braços de um modo exagerado.

O quê? Estou bêbado. Foi além de meu controle.

“…Vossa Majestade foi precipitado demais.”

“O quê? Sou tão grandioso que você se apaixonou por mim?”

“Esta disse que Vossa Majestade foi precipitado demais”

“Ao ponto que você quer me beijar? Isso é ótimo! Se você soubesse o quão duro trabalhei para ganhar sua afeição, você se sentiria tão arrependida que ofereceria seus lábios para mim de boa vontade.”

“Vossa Majestade.”

Calei a boca.

O olhar de Lapis Lazuli me perfurou.

“Vossa Majestade é imprudente, irresponsável, e precipitado.”

“…você não está profundamente movida pela minha vitória?”

“Sim.”

“Isso é um certo chocante.”

Tão chocante como da vez que recebi uma confissão de um garoto da mesma sala durante o primário.

“Paimon não é apenas a Lorde Demônio de rank 9º, mas também a líder da facção das montanhas que é conhecida como a maior facção nas Forças Aliadas dos Lordes Demônio. Ela comanda vários seguidores leais e tem relações próximas com pessoas no poder do lado dos humanos. Em termos mais simples, Vossa Majestade tornou uma das figuras mais importantes do mundo dos demônios em inimigo.”

“Espera. Espera um instante, Lala.”

Eu violentamente acenei com as mãos.

“…não sou imprudente, não sou irresponsável, e não sou precipitado. São palavras que estou ouvindo pela primeira vez na minha vida. Isso é incrivelmente insultante.”

“É isso? Que tipo de plano é para Vossa Majestade precisar fazer o homem mais rico e a líder da maior facção do mundo dos demônios, em inimigos?”

“Isso…isso é…”

Não tem jeito.

Minha mente ainda está intoxicada de álcool e ainda não consigo pensar direito. Não é um cenário simples onde posso simplesmente falar enquanto bêbado. É como se fosse a máquina mais elaborada no mundo.

“Isso é, é tremendamente…”

“Tremendamente?”

“Incrível…e assustadoramente grande…esse tipo de plano!”

“Vossa Majestade tem uma habilidade persuasiva bem impressionante. Esta está tão movida que ficou sem palavras.”

“Seus olhos e orelhas poderiam estar falhando ao mesmo tempo, mas sua língua com certeza está se mexendo bastante para alguém sem palavras.”

“É um alívio que Vossa Majestade ainda tem racionalidade suficiente para perceber isso.”

“Ooh!”

Como um ator terrível, eu gritei para o teto.

“Me desculpe, Lala! É verdade! Fui completamente louco! Depois de ser acusado pela Paimon e ver aquele morcego velho rindo de mim de lado, todo meu autocontrole se explodiu! É por isso que dei a eles uma lição! Sequer consigo ter ideia de como começar a pensar como eu possivelmente poderia refletir sobre meu tremendo erro para nossa senhorita súcubo!”

Me virei e reverenciei. Era do lado completamente oposto de onde Lapis Lazuli estava. Claro, não havia ninguém ali. Graças ao luar vindo da janela, eu quase conseguia enxergar um formato do chão.

Não, já que eu conseguia ver, não é como se não houvesse absolutamente nada ali. Um gato cinza estava empoleirado no peitoril da janela, lambendo sua pata. Eu reverenciei mais profundamente para o gato.

“Me desculpe, Paimon! Me desculpe, seguidores da Paimon e adeptos de Ivar Lodbrok! Eu refutei e esmaguei estas pessoas que vocês tanto amam! Eles me acusaram de um crime que não cometi, eles levantaram alto seus narizes apenas porque têm autoridade tão grande quanto uma unha neste nosso grande universo, e eles são indivíduos que não sabem como respeitar outros, mas todos os amam carinhosamente de qualquer jeito. Ó, as Deusas choverão suas raivas sobre mim! Ó, Érebo, ó, Nêmesis, a mais aterrorizadora Deusa! Se, porventura, todas vocês estiverem nos céus— se vocês não estiverem fazendo nada e apenas me olhando de seus assentos—”

Olhei para cima como um profeta que estava recebendo mandamentos diretamente de Deus. Meu corpo se moveu seriamente e minha voz ecoou esplendidamente. Parecia como se eu estivesse recebendo o prêmio de melhor ator principal do ano.

“Eu talvez seja educado demais e esteja transbordando de refinamento para apropriadamente acreditar em Deusas, então não consigo dizer com certeza que todas vocês existem nos céus, mas, se por alguma chance astronômica vocês realmente estiverem aí— Deusas! Não perdoe este pedaço de lixo de Dantalian que ridicularizou a líder da maior facção e a pessoa mais rica do mundo dos demônios, e me julgue!”

“…”

“Entretanto, se eu falasse subjetivamente— embora acredite que esta minha opinião subjetiva seja objetivamente a verdade e não duvide disto, de qualquer jeito, do tanto que eu preciso ser modesto em frente das Deusas, devo falar subjetivamente por pura cortesia— Se vocês concordam com minha opinião pessoal que Paimon e Ivar Lodbrok são ambos terrivelmente azarados, e que ambos são tripas de porco apodrecidos à beira de se tornarem não recicláveis— então suas malditas Deusas! Por favor, não façam nada, absolutamente nada, e me permitam viver do jeito que quiser! Já que sou mil vezes mais competente do que uma Deusa que fica sentada e mija o dia inteiro!”

Silêncio.

O gato cinza estava surpreso e olhando para cá de olhos arregalados. O gato deve ter esquecido que estava lambendo sua pata, já que a pata estava congelada no meio do ar. Não é estranho. Ele teve a honra de testemunhar minha poderosa e grandiosa confissão de fé, afinal de contas. É como se estivesse descansando em uma montanha e Moisés repentinamente aparecesse. Consigo entender os sentimentos do gato. Esse é o tanto de entendimento que eu estava transbordando.

“Hoo, uhoo…”

Estabilizei minha respiração.

A intoxicação estava se dissipando.

Me virei e olhei para a Lapis Lazuli. Ela estava me olhando com seu rosto inexpressivo de sempre. Levantei meu dedo indicador e apontei para o teto.

“Olhe aí. Nada aconteceu.”

“…”

“Pensando logicamente, podemos derivar três conclusões disto. Primeiro, as Deusas generosamente perdoaram minha imprudência, irresponsabilidade e precipitações. Ó, Lala, você é realmente uma garota distinta, e ainda existe a chance de você ser mais distinta do que eu— Claro, esse é um tópico para debate— mas você claramente não é distinta como as Deusas. Assim, segundo, já que as Deusas me perdoaram, você também deve me perdoar também. Isso que significa ter uma atitude modesta, afinal de contas. E finalmente, terceiro, as Deusas admitiram que Paimon e Ivar Lodbrok são parecidos com tripas de porco apodrecido. Assim, a ação de ameaçá-los não é um problema teologicamente, juridicamente, e eticamente falando. Agora. Se você tiver qualquer coisa para dizer contra minha lógica perfeita, vá em frente.”

Um momento de quietude retornou ao corredor.

Nos encaramos por um tempo.

Lapis Lazuli então abriu sua boca.

“Vossa Majestade terminou de falar?”

“Mhm.”

“Esta precisa apontar que Vossa Majestade usou a técnica retórica inicial de ‘usar uma falsa premissa’?”

“Nope.”

“Há alguma razão que esta precisa relembrar Vossa Majestade o quão perigoso é politicamente falando sobre intensamente declarar em público tal ateísmo?”

“Nenhuma.”

“Como Vossa Majestade acha que esta deveria reagir ao lorde que é logicamente, politicamente, e teologicamente culpado?”

“Não acho nada sobre isso.”

“É o que esta pensou.”

“Lala. Eu realmente não conseguirei explicar direito porque ainda estou intoxicado, mas lhe garanto que já planejei um esquema perfeito que te deixará sem palavras. Lhe explicarei depois de um breve descanso, e até mesmo você irá admirar. Por agora, vamos voltar para o nosso quarto, e discutir o resto…”

“Esta sabe.”

“Huh?”

“Esta acredita que Vossa Majestade está planejando um esquema perfeito.”

Eu pisquei.

“Isso é, uh, o que dizer…um certo inesperado.”

“Esta sabe que a verdadeira natureza de Vossa Majestade é de como de um predador, uma aranha para ser exata. Antes de dar um passo, Vossa Majestade olha 10 passos à frente, e se não há certeza de uma caça perfeita, então Vossa Majestade espera pacientemente. Pessoas podem achar que Vossa Majestade é um parasita inútil quando o veem não fazendo nada, e rirão para ridicularizar, mas na verdade, Vossa Majestade está apenas esperando a presa cair na teia.”

“…obrigado pelo elogio?”

Minha mente estava em branco, então estava incerto. Mas acho que é a primeira vez que Lapis Lazuli me elogiou deste jeito. Não sabendo exatamente como reagir no momento, franzi as celhas.

“Então por que você me maltratou?”

“Já que a mentalidade de Vossa Majestade é tão distorcida, esta julgou que Vossa Majestade precisa de uma vassalo que constantemente estaria ao seu lado para lhe repreender.”

“Lala. Sou um adulto bem crescido. Não tenho quaisquer motivo para precisar de uma figura materna agora e ouvir ranzinzas…”

Então.

Lentamente.

Lapis Lazuli casualmente agarrou minha gravata.

Em um breve momento de confusão, Lapis Lazuli puxou.

Não entendi exatamente qual tipo de princípio físico estava por trás desta ação, mas o resultado foi simples e óbvio.

Lapis Lazuli roubou meus lábios.

“…”

“…”

Consegui sentir algo macio em meus lábios.

Me pergunto se passou acerca de 10 segundos. Nós firmemente nos separamos.

Quando duas pessoas se separam, ainda seria estranho mesmo se elas tivessem compartilhado de centenas conversas ociosas, mas neste momento de silêncio, foi completamente natural nos separarmos. Assim que o beijo terminou e reganhamos nossa distância, senti que essa distância era completamente natural.

Lapis Lazuli murmurou.

“Também não planejo em agir como uma mãe para Vossa Majestade.”

“…Lala.”

Falei cautelosamente.

“Admito que inúmeras vezes falei coisas libertinas como beijar. Porém, isso era puramente para me desfrutar de sua reação embaraçada, e assim não tinha nenhum significado profundo. Se, por chance, eu criei um mal-entendido por causa disso, então devo sinceramente me desculpar aqui e…”

“Eu sei muito bem disso, Vossa Majestade.”

Lapis Lazuli me cortou.

E mais uma vez, ela puxou minha gravata.

“É por isso que, por favor, cale a boca.”

Nos enterramos no corredor escuro.

Depois do segundo beijo, quem moveu primeiro, qual mão pegou o corpo do outro primeiro, e quem foi o primeiro a empurrar o outro nos cantos escuros do corredor, não sabemos. Se tornou desnecessário discutirmos a ordem.

A única coisa que consigo vividamente lembrar eram seus brilhantes olhos azuis silenciosos.

Meoow.

Um gato cinza miou.

O gato se banhou no luar e se espreguiçou.

 

[Capítulo Anterior]            [Índice]            [Intermissão do Volume 1]