Dungeon Defense Volume 2 – Capítulo 1 (Parte 1) – Uma boa amizade

Dungeon Defense Volume 2 – Capítulo 1 (Parte 1) – Uma boa amizade

Dungeon Defense: Volume 2 – Capítulo 1 (Parte 1)
Capítulo 1 – Uma boa amizade (Parte 1) 

 

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 9, Dia 20
Niflheim, Praça de Hermes 

“Ouvi tudo. Você teve uma briga enorme com sua súcubo amante, certo?”

“Rumores realmente se espalham rápido.”

“Sou uma garota um certo sensitiva a tópicos.”

Barbatos veio me visitar no meu alojamento.

Esta Lorde Demônio distinta de rank 8º, por alguma razão, ficou bem afeiçoada por mim. Ela provavelmente tem uma boa impressão de mim por causa do incidente que nocauteei a Paimon de seu pedestal. Claro, essa não é a única razão.

“Vá em frente e solte tudo. Por que vocês brigaram?”

“Você não está vendo que ainda estou aplicando gelo? Faz apenas 20 minutos desde que tomei um tapa da Lapis. Honestamente, não quero falar com ninguém agora.”

“Ó, este pobre homem.”

Barbatos sorriu astutamente.

Um certo irritante.

“Pense direito. Sua amante é uma súcubo híbrida. Ela é uma exilada que normalmente seria executada apenas por tocar um Lorde Demônio. Se uma criança dessas te bater, ela estaria literalmente colocando sua vida em risco. Que tipo de coisa você poderia ter feito para fazê-la arriscar tal coisa?”

“Então você está dizendo que é tudo minha culpa?”

“Yup. Ao longo da minha vida, sempre que um problema surgia, a chance da culpa ser do homem sempre foi maior.”

“Você deve estar bem feliz de ter nascido mulher.”

Barbatos riu.

Normalmente, não estaríamos em posição de trocar palavras informais tão francamente.

Barbatos é a Lorde Demônio de rank 8º. Ela tem um exército permanente de 6 mil homens e uma quantidade incontável de seguidores ao seu comando. Ela até mesmo lidera um grupo político conhecido como Facção das Planícies.

Por outro lado, sou o Lorde Demônio de rank 71º. Não só não tenho seguidores, mas também não faço parte de nenhuma facção. Posso estar abundando de dinheiro, mas isso é tudo. Sou apenas um inseto comparado à Barbatos.

E mesmo assim, senti vagamente que Barbatos queria minha amizade. O que eu supostamente deveria fazer se o outro lado quer que eu fale casualmente primeiro. Mais do que de bom grado irei agradá-la.

“Dantalian. Podemos não ser amigos ainda, mas acredito que alcançamos algo similar a amigos.”

“É uma honra.”

“Estou falando sério.”

Barbatos arreganhou.

Essa expressão dela é o motivo que não consigo sentir credibilidade em sua seriedade.

“A maioria dos Lordes Demônio são um monte de lixo. Nenhum deles são promissores. E mesmo assim, você é o primeiro novato em 60 anos que aparenta ter talento. Apenas quero te tratar bem como uma veterana nesta indústria de negócios.”

Uma veterana, huh.

Barbatos lidera um grupo conhecido como ‘Facção dos Planícies’. Esta facção ganhou esse nome porque a maioria dos Lordes Demônio deste grupo têm seus castelos em planícies. E por resultado de viverem numa área aberta, encontros com humanos são frequentes.

Assim, Barbatos naturalmente se tornou uma Lorde Demônio hostil a humanos. Se os exércitos dos Lordes Demônio fossem invadir o mundo humano, então a Barbatos, sem dúvidas, seria aquela a liderá-los. Ela espalhou uma rede de informação pelo mundo humano e está constantemente observando, como se estivesse preparada para uma enorme guerra.

Por outro lado, Paimon, a Lorde Demônio que destruí, é conhecida como a cabeça da ‘Facção das Montanhas’. Como o nome literalmente sugere, esta facção consiste de Lordes Demônio que têm seus castelos em regiões montanhosas, onde raramente encontram humanos de frente.

A Facção das Planícies e a Facção das Montanhas estavam preso em rivalidade.

Seria a Facção Agressiva e a Facção Moderada mais apropriado?

Então quando Barbatos autoproclamou-se ‘veterana’ e chamou-me ‘novato’, estava indiretamente tentando me lurar à sua facção. Uma declaração carregando essa ideia.

Dei um olhar sutil à Barbatos.

“Qual seu ponto.”

“Se você está tentando terminar com sua amante súcubo, então posso ajudar. Em primeiro lugar, não faz sentido uma exilada estar transando com um Lorde Demônio. Ainda não é tarde, então peça por minha ajuda.”

“…”

Nos encaramos por um momento.

“Está me dizendo para terminar com a Lapis?”

“Por quê? Está embaraçado? Não se preocupe. Não importa o quão rápido as pessoas fiquem excitadas com isso, esse excitamento irá embora na mesma velocidade. Dê um ano e as pessoas terão esquecido que você sequer fornicou com uma exilada.”

Barbatos falou como se fosse algo sem nenhuma real importância.

Franzi minhas celhas.

“Não é você que decide o que acontece entre mim e Lapis, é eu. Não se envolva demais na vida amorosa de outro.”

“Normalmente não sou tão intrometida. Mas você não é uma criança normal. Você é o grande novato que deu um golpe na Paimon. Como uma Lorde Demônio veterana, tenho a obrigação de mostrar alguma preocupação com a reputação do meu júnior.”

Barbatos cruzou suas pernas.

Pernas e panturrilhas puramente brancas adentraram minha visão.

“Claro, não será fácil terminar com a amante que você mostrou tanta afeição. Eu entendo. Mas pessoas crescem cada vez mais fortes sempre que perdem seu amor, criança.”

“…”

“O único significado que amor tem é que revela suas fraquezas. Pessoas não crescem mais fortes através de experienciar ou dar amor, mas sim de jogá-lo fora.”

“…”

Contorci os cantos da minha boca.

“É realmente desse jeito?”

“Com certeza é. Pode acreditar. Apesar das minhas aparências, já vivi 500 anos. A quantidade de amantes que tive uma relação até agora foram mais de mil.”

Barbatos sorriu.

Um sorriso astuto como de um gato de rua.

“De qualquer jeito, conte-me o que levou a essa separação. Solte tudo e deixe sua mente relaxar. Você deve se sentir mais leve depois de soltar tudo.”

Fiquei quieto por um tempo.

O que aconteceu para Lapis Lazuli me bater.

A situação por trás disto é muito grande. Continha uma história tão complexamente retorcida que não tenho ideia por onde começar.

Abri minha boca lentamente.

“Meio mês atrás uma velha nos visitou.”

“Hm.”

“No começo, tinha achado que era só uma mendiga. Sua aparência era deplorável e suja, afinal de contas. Mas logo descobri que ela não era apenas uma vagabunda. Essa velha era…”

Fechei meus olhos por um segundo.

Conseguia lembrar de toda a cena distintamente.

“Essa velha era a mãe de Lapis.”

 

 

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 9, Dia 3
Niflheim, Palácio do Governador 

“Entendo. Então você é a mãe biológica da Lala. O que te traz aqui?”

“Sim, ó grande lorde. Esta humilde existência ouviu as notícias de sua filha, a filha que esta passou vários anos procurando. Apesar da chance de arriscar descortesia, esta fez seu caminho até aqui, a Vossa Majestade.”

Uma velha incrivelmente enrugada falou.

Eu pessoalmente servi chá à velhinha. Ela insistia que era honra demais e tentou recusar várias vezes, mas apesar das minhas aparências, eu coloco respeito aos velhos acima de tudo. Também, se esta pessoa é a mãe da Lapis Lazuli, então é fim de jogo. Não seria minha sogra?

“Não faça minha bondade de lixo, por favor.”

“M-Muito obrigada.”

A velhinha, como se não tivesse escolha, cautelosamente aceitou o xícara de chá. Apesar de suas ações, não senti como se tivesse desgostado.

“Você disse que estava à procura da Lala, correto?”

“Sim, Vossa Majestade.”

“Até onde sei, Lala se tornou órfã numa idade bem jovem. Quando ela tinha percebido, seus pais já não estavam ali. Pode ser rude de dizer, mas pensei que você tinha abandonado a Lala e fugido por conta própria…”

“Ah não. Não foi isso.”

A velhinha começou a lacrimejar.

“Esta humilde mulher foi banida de seu vilarejo assim que deste à luz para essa criança. O chefe afastou esta. Uma súcubo que fez um contrato matrimonial com um mero humano não poderia ser possivelmente aceito como parte do vilarejo. Era a nossa regra.”

Escutei a história desta velhinha sem dizer uma palavra.

“Esta deu à luz num dia frio de inverno. A consciência desta humilde existência ainda estava instável quando o chefe subitamente ordenou-me a ir embora. Esta humilde existência suplicou teimosamente por mais tempo…por mais uma semana, ou ao menos um dia. Mas foi em vão. Esta foi expelida do vilarejo sem sequer conseguir amamentar sua filha uma única vez…”

A velhinha abaixou seu copo de chá e ficou de joelhos.

Ela engatinhou até mim e segurou minha mão esquerda.

“Ó grande lorde. A única coisa que esta mulher de nascimento humilde deixou para trás foi conseguir nomear a sua criança, Lapis Lazuli. Seu pai tinha os mesmos olhos lazulite, e assim esta a nomeou assim. Essa criança é certamente a filha desta humilde mulher. Por favor, se esta pudesse ver o rosto de sua filha…ver se sua filha está bem…este é o único desejo desta humilde mulher.”

O súplico desta velhinha certamente tocou o meu coração.

Uma súcubo que teve uma criança por causa de sua afeição com um humano.

Por natureza, casamento entre um demônio e um humano é proibido. Esta velhinha, por ter violado dito tabu, foi exilada e perdeu sua filha. Por tal cicatriz ter se formado por causa de uma simples noite amorosa de verão, um consegue ver o quão severo foi.

“Entendo. Devo providenciar para você se encontrar com a Lapis.”

“I-Isso é verdade?! Obrigada. Muito obrigada, Vossa Majestade!”

“Uma mãe se encontrará com sua filha. Apenas estou permitindo algo que é óbvio. Não há razão para você me agradecer.”

Chamei para Lapis Lazuli entrar na sala.

Logo após, Lapis Lazuli, vestida com o uniforme bem arranjado de sempre, entrou. Lala olhou de relance para a velhinha, mas aparentemente não foi capaz de reconhecê-la.

“Vossa Majestade chamou por esta?”

“Lala. Meu amor eterno e súdito leal.”

“…por que Vossa Majestade está agindo desse jeito tão de repente? Sempre que Vossa Majestade começa a falar de forma estranha, esta não consegue porém sentir uma estranha inquietação.”

“Examine esta velhinha aqui. Você reconhece ela, possivelmente?”

Lapis Lazuli franziu as sobrancelhas.

Um rosto mostrando de que ela não tinha ideia.

“Perdoe esta, mas esta indivídua é uma completa estranha para esta.”

“Olhe mais cuidadosamente. Você realmente não sabe?”

“Esta não entende o que Vossa Majestade está pensando.”

E assim a velhinha começou a se aproximar da Lapis Lazuli.

Enquanto soltando um choro, a velhinha abraçou Lala.

“Aah…! Minha criança! Esta é certamente minha criança!”

Por causa da situação súbita, Lapis Lazuli congelou. Ao invés de parecer confusa, ela parecia não conseguir entender o que está acontecendo. Esse tipo de sensação. Lala se virou para cá.

“Vossa Majestade. Explique-se.”

“Como acabou de ouvir, essa pessoa é sua mãe biológica. Claro, há várias coisas que devem ser confirmadas primeiro, mas uma pessoa certamente não contaria uma mentira em presença de um Lorde Demônio, quando a verdade poderia ser facilmente revelada a qualquer momento.”

Me senti um certo soberbo.

Uma órfã conseguiu se reunir com sua mãe. Até para mim, que sempre penso pessimisticamente, não pude porém me sentir tocado por esta reunião. Vagarosamente esperei pelas palavras ‘obrigada’ saírem da boca de Lapis Lazuli.

Mas.

“…”

Lapis Lazuli estava estranha.

Uma emoção peculiar apareceu em seus olhos por um instante. Foi realmente por apenas um momento. Se alguém fosse calcular a duração, então foi tão curto quanto uma piscada. O rosto de Lapis Lazuli estava indiferente— talvez indiferente demais.

Apesar de não saber exatamente o que ela sentiu.

Certamente não foi uma expressão que alguém faria ao se encontrar com sua mãe pela primeira vez depois de décadas.

Rapidamente tomei uma decisão.

“Lapis Lazuli”

“Sim, Vossa Majestade.”

“Ajoelhe-se.”

Sem fazer perguntas, Lapis Lazuli ajoelhou-se. Pergunto-me se a velhinha estava confusa pela ordem repentina que dei, mas ela estava olhando para aqui e ali entre Lapis e eu com um olhar perplexo.

Aproximei-me da Lazuli e balancei minha mão direita. Não foi uma brincadeira. Coloquei apropriada força no meu braço e dei-lhe um tapa. Lapis Lazuli, incapaz de resistir a força, caiu no chão. Logo ao acontecer, a velhinha soltou um grito agudo.

“O-O que, Vossa Majestade! O que Vossa Majestade está fazendo?”

“Silêncio, sua súcubo de mente rasa. Diga mais uma palavra e cortarei sua língua e a empurrarei em seu ouvido.”

Ignorei o grito da velhinha e agarrei a Lapis Lazuli pelo cabelo. Então a levantei forçadamente. Lapis Lazuli não soltou sequer um grito e simplesmente me olhou com olhos sem emoções.

“Confesse-se. Você ousou usar truques sujos?”

“…esta acabou de descobrir pela primeira vez que Vossa Majestade é bem mais violento do que esta originalmente pensava.”

“Você é realmente boa em descaradamente mover sua armadilha desse jeito. Ficou cega porque recebeu minha agraciamento real? Permiti que uma camponesa como você pudesse ficar ao meu lado, e agora quer que eu cuide de seu parente também? Fale. Sou seu lorde ou sua carteira?”

Olhei de relance para a velhinha e pude ver seus lábios tremendo.

Parece que ela não conseguiu entender o que está acontecendo à sua frente.

“Sua mãe não veio procurar por você. Foi você que provavelmente encontrou sua mãe primeiro. Você e sua mãe planejaram esta deselegante performance para me ridicularizar, estou certo?”

“Isso não é possível…grande lorde, é um mal-entendido!”

A velhinha berrou como se estivesse gritando.

“Esta humilde existência acabou de se encontrar com sua filha pela primeira vez hoje! Não houve nenhuma ocasião desta e de sua filha se encontrando anteriormente e planejando algo contra Vossa majestade. Por favor, acredite nesta!”

“Sei muito bem o quão astuta sua filha é. Sempre tentando me enganar e me apunhalar por trás sempre que tem a chance. É o mesmo agora. Não é o suficiente você sozinha viver no luxo, então trouxe sua própria mãe. Sua mulher infame.”

Dei outro tapa na bochecha de Lala.

Uma, duas, três vezes, continuei batendo nela.

A velhinha berrava cada vez, de novo e de novo. Mas é isso. Assim que puxei uma adaga, a velhinha apressadamente correu da sala e fugiu para algum lugar.

“…”

O silêncio predominava a sala de recepção.

Lapis Lazuli levantou-se e silenciosamente limpou sua saia. O rosto de Lala continuava inexpressivo, e aparentemente ela não sentiu nenhuma dor em particular de sua bochecha vermelha inchada.

“…droga.”

Thud

Esfaqueei a mesa com a adaga.

“Uma mentira. Sua mãe nos ridicularizou com sua mentira, Lala! Ela não veio te procurar por estar preocupada, ela provavelmente planejava simplesmente grudar em você como uma parasita.”

“Isso provavelmente está correto.”

Lapis Lazuli falou calmamente.

“Esta foi oficialmente aprovada como a amante de Vossa Majestade Dantalian. E adicionando, Vossa Majestade também entrou na lista das pessoas mais ricas do continente. A mãe desta provavelmente aproximou-se desta e Vossa Majestade atrás de nossa fortuna.”

“Fugir sozinha enquanto sua filha está sendo espancada…!”

Um teste simples mas extremo.

Para confirmar as verdadeiras intenções da velha.

Se essa velha realmente vagou por aí por 40 anos em busca de sua filha, então ela certamente não deixaria violência acontecer sem fazer nada. Ela teria tentando me parar mesmo se tivesse que arriscar sua vida.

Entretanto, essa velha fugiu muito fácil. O que significa? Que essa velha, como mãe, não ama ou aprecia Lapis Lazuli.

A chance de sua visita ser por dinheiro era de dez para um. Ela provavelmente se arrastou até aqui para parasitar sua filha e viver na luxúria. Meu coração se tornou um preto puro de raiva.

“A pessoa que irresponsavelmente copulou com um homem, irresponsavelmente teve uma criança, e irresponsavelmente fugiu do vilarejo por escolha própria— e ainda tentar voltar e agir como mãe agora! O quão cara-de-pau alguém consegue ser depois de abandonar sua criança por 40 anos!”

“Vossa Majestade.”

“Vou matá-la!”

Gritei.

“Vou cortar sua língua, quebrar sua espinha, e jogá-la em um chiqueiro de porcos. É apenas o apropriado esse tipo de vira-lata receber punição divina. Se os Deuses estiverem negligenciado seus deveres, então não há outra escolha porém eu puni-la em seus lugares!”

“Vossa Majestade.”

Lapis Lazuli me encarou.

“Se recomponha. Não há motivos para Vossa Majestade sujar suas mãos.”

“Não, há mais do que suficiente razão, Lala. Você é minha amante. Seja um falso pretexto ou não, você ainda é minha noiva. A ridicularização que você receber assim acaba-se sendo minha humilhação. A ridicularização que recebo assim torna-se sua humilhação. Como pode possivelmente não ter nenhum valor!?”

“…”

“Não se preocupe. Como possivelmente eu poderia dizer para você matar sua própria mãe. Apenas espere pacientemente. Tomarei conta disto discretamente. Terei certeza que esse tipo de lixo nunca mais intervenha com sua vida novamente. Primeiro subornar os guardar, e…”

Slap

Não pude compreender o que aconteceu por um momento.

Porque era algo que nunca esperava acontecer.

Olhei para a Lapis Lazuli com um rosto espantado, ainda incapaz de acreditar o que acabou de acontecer.

“Lorde Dantalian.”

“…”

“Esta disse para você se recompor.”

O sentimento em meu peito acalmou-se.

Lala acabou de me dar um tapa.

Isso em si não era o problema. Eu também não dei inúmeros tapas nela? Olho por olho, dente por dente. Ela naturalmente tinha o direito de me bater. Entretanto, o fato de que ‘Lazuli me bateu’ foi o que me chocou.

“Lala…”

“Vossa Majestade finalmente se acalmou?”

“Perdões. Não bati em você porque queria. Me desculpe por balançar minha mão como um bárbaro. Realmente. Mas eu tinha que ter certeza se sua mãe estava sendo sincera ou não.”

Falei em voz baixa.

“Se eu não deixasse este fato claro, então pensei que no fim seria você que se machucaria. Ao custo de me tornar o vilão, queria garantir sua segurança. Eu jurarei nisto, de que não tinha nenhum motivo ulterior.”

“Esta sabe, mas esse não é o problema.”

Lapis Lazuli sacudiu sua cabeça.

“Não há motivo para se desculpar por bater nesta. Esta é uma camponesa. Apenas por estar ao lado de Vossa Majestade, esta é capaz de banhar-se em privilégio desmerecido. O verdadeiro problema é outra coisa.”

“O que você quer dizer com verdadeiro problema…?”

“Vossa Majestade não sabe?”

Este tipo de pergunta me deixa louco.

A outra pessoa sabe a resposta, mas eu não. Sendo isso, eu deveria ao menos ter o direito de saber a pergunta, mas por alguma razão a outra pessoa segurou tanto a pergunta como a resposta. Não é incrivelmente injusto?

“Lala. Não quero debater com você.”

“Não é um debate.”

Lapis Lazuli ficou cabisbaixo.

“É um simples teste.”

E assim Lala deixou a sala.

Sem perguntar por minha permissão.

Eu repentinamente encontrei-me sozinho na sala, vagamente encarando o espaço vazio à minha frente. E assim apareceu uma notificação semitransparente.

 

[A afeição de Lapis Lazuli diminuiu por 1.] 

 

Encarei vagamente a notificação por um bom tempo. Porque não havia mais ninguém na sala para ouvir minhas palavras, eu fracamente murmurei em direção do ar vazio.

“…qual foi o problema?”

Dava-se para ouvir cantos de passarinhos pela janela.

 

 

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 9, Dia 20
Niflheim, Praça de Hermes 

“Qual foi o problema?”

Barbatos olhou como se não estivesse sem palavras.

É aquele tipo de rosto como se ela quisesse morder minha língua e assim cometer suicídio.

“Você tentou matar a mãe de sua amante!”

Hm.

“…o que tem isso?”

“Ó Deusa Perséfone. Bons Deuses. Por que vocês ainda não levaram este frouxo idiota é além de mim.”

Barbatos cobriu sua testa com sua mão.

“Dantalian. Você quer que eu te conte de verdade, realmente honestamente?”

“Uma resposta honesta seria bem melhor do que uma resposta hipócrita.”

“Antes de ouvir sua história, eu sinceramente lhe aconselhei para terminar com sua súcubo amante, certo? Mas agora está realmente vago. Seu retardado. Se foi necessário tomar tapas de uma exilada, então você mereceu tomar centenas e milhares de tapas.”

“Ei. O que você teria feito então?”

Abaixei o saco de gelo

A bochecha que tomou o tapa da Lala ainda estava quente.

“Há uma garota que você realmente ama. Mas esta garota, desconsiderada de sua própria vontade, meramente nasceu neste mundo por causa dos erros de seus pais. Ela foi rotulada como ‘exilada’ no momento que saiu do útero. Até agora, Barbatos, você também a desconsidera.”

Barbatos franziu as celhas.

“Eu não ignoro as pessoas por causa de suas posições sociais. Eu os diferencio.”

“Você quer dizer discrimina. De qualquer jeito, tudo bem. Resumindo, o verdadeiro culpado que transformou a vida da Lapis Lazuli numa calha foi aquela velha. O que eu supostamente deveria fazer. O que você teria feito.”

As pessoas que mais desprezo são aqueles que têm uma criança irresponsavelmente. Meu pai fez isso, e minha mãe também.

Pessoas normais não conseguem entender o quão frustrante é para uma criança que enxerga sua vida arruinada aos dez anos. Porém, comparado com da Lala, minha vida ainda poderia ter sido considerada abençoada. A vida dela foi amassada como uma folha de alumínio desde sempre.

“Não consigo perdoar aquela velha. Perdoar seria errado. Droga. Não deveria ter me preocupado com a opinião da Lapis e ter matado-la ali mesmo.”

“Dantalian…”

Com um efeito de som, um holograma apareceu na minha frente.

 

[A outra pessoa está desapontada com você.]

[A afeição da Lorde Demônio Barbatos diminuiu por 3.]

 

“Você é um cara bem quebrado, não é mesmo.”

Barbatos deu-me um olhar de simpatia.

“Você aparenta estar perfeitamente bem, mas o interior do seu crânio é defeituoso. Sequer reparou que está parecendo um paciente psiquiátrico agora, reparou?”

“Sou perfeitamente normal.”

“Há dois tipos de pessoas que declaram ser perfeitamente normal. Um é um homicida, o outro é alguém para se tornar um homicida.”

Barbatos levemente abaixou sua cabeça.

Ela me encarou seriamente.

“Todos cometerão erros enquanto vivem. Claro, se cometem um erro, então devem ser punidos. Tudo bem até esse ponto. Mas você está dizendo que a punição deve ser execução não importando o quê. E nisso, a mãe biológica de sua amante.”

“Se há uma prostituta que merece morrer, então deveriam morrer.”

Barbatos soltou um suspiro.

“…você disse que o nome da sua amante é Lapis Lazuli? Droga, ela é admirável. Como maldições ela consegue lidar com você? Se fosse eu, teria cortado suas bolas e fugido há muito tempo. Vocês dois realmente deveriam apenas terminar.”

“Você está do meu lado, ou da Lala?”

“Eu não sei, seu idiota.”

Barbatos coçou sua cabeça.

“Tive esperanças que um novato útil de verdade teria aparecido depois de tanto tempo, mas ele não é simplesmente um paciente psiquiátrico? Haaa, é sempre assim comigo… Ele é um certo que aceitável se ignorar seus problemas amorosos, mas como maldições faço este retardado funcionar como uma pessoa de verdade…”

“Oi? Consigo ouvir o que está falando.”

“É claro que você conseguiu, já que eu queria que você ouvisse. Sr. Cafetão. Estou pensando na forma gerúndio se devo ou não me fazer de sua babá. Que merda profunda.”

Barbatos segurou sua testa e resmungou.

É como se estivesse contemplando o quão fundo ela deveria se intrometer na vida de alguém.

Se você se preocupar com os problemas pessoais de outra pessoa, provavelmente acabaria num pantanal sem fim. Barbatos estava pensando sobre esse sentimento viscoso.

Pergunto-me se ela finalmente tomou uma decisão.

“…certo. Continue falando.”

Barbatos fez uma expressão como se tivesse se rendido para um nó em algum lugar de sua mente.

“Continuar falando? Sobre o quê?”

“Seu idiota. Estou falando sobre suas relações românticas. Até onde você me contou, ainda não aparenta ter um problema grande entre você e a sua súcubo amante. Vocês tiveram uma briga, mas não grande o suficiente para se separarem. Que tipo de bosta você fez durante o resto do mês para fazer aquela criança ficar tão chocada com você?”

“Entendo. Você já está falando num tom como se já estivesse certa que sou o culpado.”

“Sim. Estou certa. Se acha injusto, prove sua inocência. Tsk…”

Barbatos olhou para a janela.

Ainda está de tarde, então o lado de fora ainda está claro.

Como se estivesse estimando o peso da luz solar, Barbatos estreitou seus olhos. A luz solar polia suas panturrilhas e escorregava por elas.

Honestamente falando, é charmoso.

Até mesmo a luz solar ficaria satisfeita pelo fato que conseguiu beijar as pernas de Barbatos. Pelo menos tenho certeza que estaria mais feliz do que cair na minha cabeça. Se não fosse por sua figura infantil, provavelmente teria me apaixonado por ela.

“…ei. Onde você está olhando.”

Barbatos estava encarando-me como se estivesse olhando algo estragado.

Respondi honestamente.

“Estava admirando sua perna.”

“Não é de graça, então paguei se quiser admirá-los.”

“Você pode simplesmente olhar para a minha perna.”

“Diga isso depois de barbear todo o pelo delas.”

Encolhi os ombros.

“Consegui informação.”

Barbatos inclinou sua cabeça.

“Que informação?”

“Uma pequena carta. Não continha nome ou remetente. Apenas duas frases escritas por uma caneta de pena. O conteúdo é bem memorável.”

Tirei um pedaço de papel do meu bolso e dei-lhe a nota.

 

Você tem um inimigo.
Daqui 10 dias, um exército de 2,000 homens invadirá seu castelo de Lorde Demônio.

 

“…”

Barbatos soltou barulho através de seu nariz.

“Uma ameaça bem direta está escrita aqui, huh.”

“Parece mais um aviso do que uma ameaça.”

“Por quê? Até de relance parece apenas um blefe.”

“Preste atenção nas linhas mais cautelosamente, Barbatos. Pode ser apenas duas sentenças, mas várias implicações estão escondidas na primeira. Primeiro, ‘Você tem um inimigo’ está escrito aqui. Está sutilmente insinuando que ‘Eu não sou seu inimigo’.”

Isto é moderado demais para ser considerado uma carta de ameaça.

É por isso que quando recebi esta mensagem um mês atrás, Lala e eu contemplamos sobre ele.

Quem, com qual intenção, teria mandado este tipo de carta.

“Vendo o estilo da escritura, o personagem que escreveu esta carta é de classe alta e recebeu educação profissional. Pelo jeito que as palavras estão levemente inclinadas, dá-se para julgar que a pessoa é destra ou ambidestra.”

“…você consegue dizer tudo isso?”

“Não são nada mais do que presunções.”

Me repousei na cadeira.

Continuei falando numa posição confortável.

“Também há uma alta chance de que a pessoa está envolvida com negócios do topo.”

Barbatos franziu as celhas.

“Haa? Por que o topo?”

“Se você tem olhos, então olhe os números.”

 

Daqui 10 dias, um exército de 2,000 homens invadirá seu castelo de Lorde Demônio. 

 

“Há uma vírgula entre o 2 e 0. Por isso há uma chance alta dessa pessoa estar trabalhando numa posição alta.”

“…”

Barbatos ainda está com uma cara de confusa.

Aparentemente esta criança violenta de Lorde Demônio não é boa em usar sua cabeça nestes tipos de lugares. Soltei um suspiro e gentilmente a expliquei.

“Pessoas normais não usam vírgula quando escrevem números na casa dos milhares. Eles normalmente escrevem 2000 sem nenhum símbolo em especial. Mas a pessoa que escreveu esta carta habitualmente colocou uma vírgula.”

Assim significando, uma pessoa que normalmente trabalha com uma grande quantidade de dinheiro.

Uma pessoa que sempre coloaria uma vírgula sempre que três 0s aparecessem de lado.

Uma pessoa que interage com números grandes como 1,000,000 no cotidiano.

“Não há dúvidas de que esta pessoa lida com contas ou registros frequentemente. Esta pessoa pode ser um grande mordomo de um território, ou um mercador que trabalha em uma posição alta.”

“É isso então…”

Barbatos fez um rosto oblíquo enquanto olhava a carta.

“Seu cérebro realmente não está aí por nada.”

“Não sinta-se movida ainda. Ainda faltam 5 implicações nesta carta. Mas se eu fosse explicar cada uma delas, morreria de tédio, então as pularei.”

Desde tempos antigos, segredos são algo similares a sexo.

Enquanto tirando as roupas de seu parceiro, você deve cuidadosamente remover uma camada por vez. Que tipo de diversão você possivelmente poderia ter em tirá-los tudo de uma vez?

Tudo está em seu zênite de beleza quando semidespido. Como uma mulher semirrevelada seria mais elegante do que uma mulher despida, segredos têm seus gostos melhores aproveitados quando despidos apenas aqui e ali, e assim cozinhados.

C’est si bon.

“Este cara é um bastardo completamente pervertido, não é?”

Depois de escutar minhas estéticas, o rosto de Barbatos distorceu.

“Que seja, você está dizendo de que há uma alta possibilidade do culpado ser um mercador, certo?”

“Mm. Ao menos vendo de fora.”

Cocei minha testa.

“Agradecidamente tenho uma amizade profunda com os mercadores. Se, porventura, a pessoa que mandou esta carta for realmente um mercador e estava apenas fazendo uma travessura, então seria mais fácil de capturar o culpado.”

“Hm? Como?”

Sorri suavemente.

“Te disse. Mercadores são meus amigos.”

 

[Capítulo Anterior]            [Índice]             [Próximo Capítulo]