Dungeon Defense Volume 2 – Capítulo 1 (Parte 2) – Uma boa amizade

Dungeon Defense Volume 2 – Capítulo 1 (Parte 2) – Uma boa amizade

Dungeon Defense: Volume 2 – Capítulo 1 (Parte 2)
Capítulo 1 – Uma boa amizade (Parte 2) 

 

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 9, Dia 5
Niflheim, Palácio do Governador

“…este nunca escreveu uma carta como esta antes.”

“Chefe. Eu, também, quero acreditar que você é completamente inocente. Mas você conspirou contra mim e me atacou no passado, não? Em outras palavras, você ainda não é completamente digno de confiança.”

“Este não mais planeja ser hostil a Vossa Majestade.”

“Isso é uma pena. Não consigo acreditar em você.”

“…”

Ivar Lodbrok moeu seus dentes.

É claro que ele está perturbado. Ele tem mais do que suficiente razão para estar nervoso, afinal de contas.

Esta pessoa na minha frente é originalmente uma das pessoas com a maior autoridade. Ele é a pessoa mais rica do mundo dos demônios, e também o soberano por trás das cenas da cidade livre de Niflheim.

Essa pessoa decaiu e agora tornou-se minha marionete. Ele abana o rabo como um cachorro a todo comando meu. Tornou-se bem deplorável. E mesmo assim, não planejo perdoá-lo tão fácil.

“O que este precisa fazer para conseguir ganhar a confiança de Vossa Majestade?”

“Simplesmente faça-me alguns favores.”

“Que tipo de favores…?”

“Primeiro, gostaria de contratar alguns soldados.”

Na carta anônima estava escrito que um exército de dois mil homens nos invadirá.

Embora ainda esteja incerto se a carta é real ou falsa, não há nada de ruim em estar preparado. Ao menos três mil. Sim, quero preparar um exército com ao menos três mil soldados.

“Considero isto como um pedido leve. Se for a admirável Firma Keuncuska, então certamente conseguirão reunir três mil homens facilmente. Não acha?”

“…claro. Vossa Majestade.”

O outro lado está com uma expressão como se tivesse mastigado merda.

Ei, suas emoções estão aparecendo por todo seu rosto.

Estava ele, porventura, me olhando com desdém? É isso? Ele decidiu que não precisa manter aparências na minha frente?

Isso é um problema. Um animal de estimação que não respeita seu próprio dono não tem uso. Parece que precisarei ensinar modos a este vampiro mais uma vez.

“Lodbrok. Você, porventura, não gosta de mim?”

“…isso não é possível. Este segura respeito e lealdade a todos os Lordes Demônio no peito deste o tempo inteiro.”

“Que alívio. Também gosto bastante de você. Estava preocupado que poderia ser um amor unilateral. Amor unilateral só é bonito durante a infância de um. Mas nesta idade, não é vulgar ser pego nesse tipo de coisa?

Ivar Lodbrok estava me olhando com um olhar de suspeito. Provavelmente estava tentando entender sobre o que estou falando.

Tirei uma coisa de minha manga. Bem, não é nada muito importante. Apenas um único fio de cabelo. Apenas um fio de cabelo loiro.

Ivar Lodbrok fez uma careta.

“O que seria isso?”

“Falarei novamente. Gosto bastante de você. Exceto, não de sua aparência idosa, mas seu corpo original. Sua forma delicada e feminina. Prefiro mais ela.”

“…!”

Os olhos de Ivar Lodbrok tremeram com inquietação.

O corpo principal de Lodbrok é uma garota loira. O cabelo que tenho também é loiro. O que isso significa?

“Claro…!”

“Sobre o seu corpo, eu pessoalmente prefiro suas panturrilhas. Seus seios pequenos e o perfil da sua cintura também são bons. Mas eu realmente acho que suas panturrilhas são as melhores partes.”

Fiz um sorriso.

“Se você acariciar cuidadosamente, dá para sentir tanto a firmeza da sua canela e a suavidade das suas panturrilhas ao mesmo tempo. Era como se minhas mãos fossem derreter de tão macias que são. A fragrância tipo rosa vindo da sua pele quase me fez querer te lamber involuntariamente.”

“Vossa Majestade não tinha prometido não tocar no corpo principal deste!”

Ivar Lodbrok soltou um rugido de raiva.

“Este traiu Vossa Majestade Paimon como ordenado! Este protegeu Vossa Majestade sacrificando um executivo da firma! Então por quê…!”

“Não entenda errado.”

Falei num tom despreocupado.

“Não fizemos uma promessa. Promessas são coisas de benefício mútuo. Entretanto, nossa relação é um pouco mais simples que isso. Chefe. É absoluta obediência.”

“Ajoelhe-se.”

Ivar Lodbrok endureceu.

Pergunto-me se ele não conseguiu ouvir direito minha solicitação. Vendo que está preso no corpo de um velho, porventura sua audição também estava danificada? É certamente possível. Não se preocupe. Acredito em respeitar os mais velhos. Sou um homem capaz de mostrar compaixão por idosos o máximo possível.

Em um tom gentil, ordenei mais uma vez.

“Ajoelhe-se, chefe.”

“Continue.”

Ivar Lodbrok lentamente ajoelhou-se.

Acenei com a cabeça.

“Agora venha até aqui.”

“…”

Humilhação e ódio dominou o rosto do velho cavalheiro.

Não consigo porém amar sempre que uma pessoa de poder faz uma expressão dessas. É como se eu estivesse assistindo um delinquente se corrigindo. Quase que quis exaltar a beleza da humanidade em voz alta.

Ivar Lodbrok engatinhou até mim.

Tirei meu calçado e pressionei meu pé direito contra a testa do velho cavalheiro. Obviamente dito, uma ação para ridicularizar. Os ombros de Ivar Lodbrok tremeram.

“Chefe.”

“…sim, Vossa Majestade.”

“Por favor, conduza-se com mais cautela enquanto estiver na minha frente. Não te ridicularizei no momento em que nos conhecemos. Normalmente e gentilmente. Te tratei como um cúmplice de posição igual, e mesmo assim, você não me olhou como se estivesse vendo lixo?”

Pressionando mais.

Forcei sua cabeça ainda mais para baixo.

O nariz de Ivar Lodbrok encostou no chão.

“É por isto que comunicação é impossível. Por quanto tempo planeja me deixar em um amor não correspondido? Se deseja que eu respeite sua dignidade, então primeiro respeite a minha. Você entendeu?”

“Este irá, certamente, manter isso em mente…”

“Prepare os três mil soldados em 2 dias.”

Recuei meu pé.

“Seria problemático se você reunisse um monte de gente aleatória, então solicitarei pelos melhores soldados. De acordo com a mensagem, a invasão acontecerá em 10 dias, então apresse-se.”

Ivar Lodbrok rapidamente levantou sua cabeça.

“Vossa Majestade. Dois dias é muito pouco! Pelo menos, permita-nos uma semana…não, mesmo se Vossa Majestade nos der meio mês, ainda seria quase impossível contratar três mil soldados da melhor qualidade.”

“Do que está falando? Há vários soldados por perto.”

“Perdão?”

“Não há soldados protegendo Niflheim? Ouvi dizer que a força militar daqui é acerca de 8 mil homens. Empreste-me alguns de lá.”

Ivar Lodbrok abriu a boca.

O rosto de alguém que acabou de ouvir uma sugestão inacreditável.

“Vossa Majestade! Esses são a defesa da cidade!”

“E você é o atual soberano de Niflheim. Consegue mover as forças do jeito que quiser.”

“Por favor, entenda! Se os soldados daqui se forem, então o método de defesa de Nilfheim desaparecerá junto. Niflheim é uma cidade livre que é responsável por toda a economia do mundo dos demônios. Se este lugar cair, então uma enorme desgraça cairá sobre todo o mundo dos demônios. Se isso acontecer enquanto a Peste Negra ainda estiver desaforado…!”

“Woah, woah. Acalme-se.”

Levantei-me da minha cadeira.

Levantei Ivar Lodbrok novamente e limpei toda a poeira de sua roupa. Ivar Lodbrok, não sabendo como reagir, estava incapaz de dar uma resposta.

“Claro, há várias coisas para nos preocuparmos. O risco que terá de carregar também será enorme. Eu entendo tudo isso. Realmente entendo. Mas independente disso tudo, chefe. É uma pena, mas.”

Finalmente limpei os ombros de Ivar Lodbrok.

“É seu problema. Não meu.”

“…”

Sorri largamente.

Ivar Lodbrok estava sem palavras.

“Ah. Devo falar que este cabelo não é do seu corpo principal. Como poderia fazer tal coisa quando te respeito tanto, chefe? Não se preocupe.”

“Perdão? Então onde…?”

“Arranquei o pelo de um cachorro que estava vagando ao redor do palácio do governador depois de brincar um pouco com ele. A cor e o charme desse cachorro eram bem refinados. Como esperado, se o dono for afortunado, então até mesmo animais de estimação viverão na luxúria.”

A expressão de Ivar Lodbrok rapidamente mudou.

Deve ter percebido que se ridicularizou tudo por causa de um pelo de cachorro, e estava estupefato.

É por isso que você não deveria ter retaliado tão inutilmente. Poderíamos ter felizmente feito nossas coisas sem perturbar o outro. Não consigo entender as pessoas que insistem em manter seu orgulho quando sabem que obviamente perderão. Você é masoquista? Gosta de sentir dor propositalmente? É um certo problemático que há tantos pervertidos no mundo…

“Três mil soldados. Da melhor qualidade. Deixarei isto em suas mãos, chefe.”

“…sim.”

“Ah, verdade. Também gostaria que você obtenha algumas informações.”

Arreganhei.

“Esta também não é uma tarefa difícil, então não tem do que se preocupar. Você precisa encontrar um único humano. Ah, e nisso, compre-me o vinho mais fino.”

“Tudo que este for ordenado…”

Parece que ele finalmente desistiu de resistir. Ivar Lodbrok se reverenciou. É fofo porque seu cabelo lembra orelhas de cachorro.

O fato dele ter várias verrugas é um defeito, mas fazer o quê. Seria melhor se eu pensar como se fosse criar um animal com um forte senso de orgulho. Sentiria-me mal se eu arrastasse ele por aí demais, então devo dar-lhe uma recompensa depois. Ó não. Não deveria ter um hobby como de criar um animal…

 

 

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 9, Dia 7
Niflheim, Palácio do Governador 

Conseguia ouvir o som de papel sendo misturado.

Pergunto-me se estivesse suando pela noite, pois sinto minhas costas molhadas. Cocei meus olhos e virei minha cabeça para ver a Lapis Lazuli lendo um relatório ao meu lado na cama.

“Lodbrok?”

“Sim.”

Reagindo à minha breve pergunta se esses relatórios vieram do Lodbrok, Lapis Lazuli respondeu imediatamente.

Uma semana se passou desde de que nos tornamos amantes. Curiosamente, nossas palavras atravessam o outro um certo bem. Devo dizer que a nossa compatibilidade é boa? Não, talvez seja excessivamente indolente sequer tratá-la como amante…

“Como está?”

“O nível da informação é favorável. A quantidade total de mercado de escravos localizado na região norte de Sardenha é treze. Dentre eles, a quantidade de mercados que lida com escravos nascidos de famílias nobres são quatro. O escravo que Vossa Majestade está procurando está registrado em Pavia.”

Lapis Lazuli pegou um único documento.

Sacudi minha cabeça e afundei meu nariz na sua meia-calça. Senti como se ela tivesse aplicado algum tipo de óleo na pele. Um cheiro encantador emanava dela.

“Óleo de oliva?”

“É óleo de rosas das montanhas de Anatólia. Vossa Majestade. Se Vossa Majestade tem tempo para assediar sexualmente esta, então por favor, olhe o relatório primeiro.”

“Não quero ler palavras logo após acordar de manhã. Apreciaria se pudesse ler em voz alta para mim.”

“Não é manhã, mas tarde.”

Lapis Lazuli suspirou.

“Esta acha que é por causa de Vossa Majestade que o ciclo de vida desta está sendo arruinado. É muito tempo consumido de uma só vez em relações sexuais. Esta aconselha a Vossa Majestade diminuir de quatro para duas horas.”

“O que eu supostamente deveria fazer se minha estâmina é inigualável?”

Biquei a parte de baixo da Lala.

“Não tenho a tendência de rapidamente saciar minha cobiça. De qualquer jeito, é bem problemático que homens hoje em dia não sabem como mostrar consideração pela mulher. O quão gratificante é aproveitar o calor do outro e…”

“Esta sabe. Esta já sabe muito bem como Vossa Majestade é um pervertido além das imaginações, então esta não precisa de outra lição.”

Lapis Lazuli desistiu e começou a ler o relatório.

“—Laura De Farnese. Desde de que nasceu como uma filha ilegítima na família de duques Farnese, ela fora confinada na mansão o tempo todo. Embora não tenha sido revelado quem é a sua mãe biológica, há um rumor de que ela nasceu depois do duque ter estuprado uma das servas.”

“…”

Acariciei as pernas da Lapis Lazuli enquanto a ouvia falar.

Lala não tem gordura inútil. Provavelmente porque nasceu como uma exilada e passou sua infância passando fome. Vagando pelos becos e procurando sobras em latas de lixo. Sendo amaldiçoada por ser uma mestiça. Aturar pedras sendo constantemente jogadas.

…deveria ter matado aquela velha.

Realmente arrependo-me disso.

“A senhorita Farnese aparentemente viveu uma infância bem desprivilegiada.”

Lapis Lazuli continuou.

“Não apenas a mansão, mas ela era estritamente proibida de deixar seu quarto também. Suas irmãs não consideravam senhorita Farnese como parte da família, e até mesmo os servos a tratavam como se não ela não existisse… Vossa Majestade? Está escutando?”

“Claro. Estou escutando diligentemente.”

“Porém esta acredita que Vossa Majestade esteve apenas encostando nas coxas desta há um tempo.”

“Não sei do que está falando. Está apenas vendo coisas.”

“…esta continuará lendo.”

Laura De Farnese.

Ela era uma personagem importante que aparecia em Dungeon Attack.

Similar ao protagonista, ela era uma indivídua influente dessa era, mas se for para dizer a diferença, seria que ela foi empurrada para o mundo do terror em vez do da esperança.

Havia uma certa complicação política por trás disto.

O protagonista de Dungeon Attack, o herói, estava afiliado com o ‘Império de Habsburgo’. Por outro lado, Laura De Farnese trabalhava para a nação conhecida como o ‘Reino de Bretanha’. O império e o reino, querendo decidir quem era o verdadeiro regente de todo o continente, começaram uma grande guerra.

Havia uma chance que, comparado aos Lordes Demônio, a quantidade de humanos que morreram nas mãos da senhorita Farnese era maior. Em outras palavras, para o protagonista, poderíamos dizer que ela era um oponente muito mais aterrorizador do que Lordes Demônio.

Bem, são coisas que aconteceriam dentre 15 para 20 anos no futuro.

Atualmente, Laura De Farnese não é mais nada do que uma frágil e vulnerável garota de 16 anos.

O que tenho para esconder?

Quero antecipadamente arrebatar esta garota que está destinada a tornar-se uma grande general no futuro.

Já que 2 mil soldados invadirão vindo de uma região desconhecida, enquanto contratando soldados, também quero recrutar um comandante ao mesmo tempo. Matar dois pássaros com uma pedra.

Lapis Lazuli terminou de ler o relatório e falou.

“Vossa Majestade. Há algo que esta deseja perguntar. Por que Vossa Majestade tem interesse numa criança da raça humana?”

“Não há uma razão em particular. Simplesmente porque essa criança carrega um incrível ódio em relação aos humanos.”

Contei-a uma mentira despreocupadamente.

Não há uma razão especial. Seria mais problemático se a respondesse honestamente e dissesse ‘É algo que sei porque joguei o jogo, mas essa criança crescerá para ser a maior general do continente’. Poderia apenas dramatizar a razão para respondê-la.

“…ódio, é isso?”

“Sim. Imagine-se na posição da garota. Ela nasceu como uma criança ilegítima e passou seus dias para sempre presa em seu quarto. Ela foi abusada das pessoas que supostamente deveriam ser sua família. Até mesmo era evitada pelos servos. E agora que a família está em ruínas, Laura De Farnese despencou para a posição de escrava e foi vendida para o mercado. O que você acha que estaria na mente desta garota? O que esta garota sinceramente desejaria? Não estaria ela nutrindo seu ódio em relação aos humanos?”

“…”

“Para mim, eu preciso deste tipo de criança. Uma criança queimando de ódio mais do que qualquer outro. Preciso de uma criança que venderia sua própria alma para o demônio se isso significa conseguir sua vingança contra os humanos. Laura De Farnese, uma indivídua exatamente nas minhas preferências.”

Ri entredentes.

Lapis Lazuli olhou para mim com uma expressão impassiva.

Ela tinha os olhos de que aparentemente entendeu, mas ao mesmo tempo não.

“O quê? Está desapontada de que não é a resposta que você queria?”

“Um pouco.”

Lapis Lazuli inclinou sua cabeça.

“Esta estava certa de que Vossa Majestade queria obter e aproveitar-se de uma escrava sexual de alta qualidade de nascimento nobre.”

“O quê? Que tipo de besteira…espera. Que tipo de pessoa você me vê como?”

“Claro, esta vê como é.”

Há uma vassalo aqui tratando seu lorde como um humano desprezível!

Vagamente entendi porque a afeição da Lapis Lazuli ainda não tinha passado de 10. Não, bem, eu sou um humano! Não sou suficientemente depravado para fazer algo como comprar uma escrava sexual.

“Lala.”

Falei em um tom incrivelmente sério.

“Usarei esta chance para dizer claramente.”

“O que foi?”

“Prefiro adultas maduras.”

Realmente é isso.

Complexo de lolita é uma doença mental.

“Não aguento pessoas que ainda cheiram como criança. Claro, prefiro seios grandes a pequenos, e prefiro aberturas generosas a pequenas. Você entende? Pessoas com físico de criança são todas insanas com um monte parafuso solto.”

“Realmente?”

Lapis Lazuli acenou com a cabeça.

“Resumindo, acima de Vossa Majestade Barbatos, Vossa Majestade Paimon é mais perto das preferências de Vossa Majestade.”

“Antes de falarmos sobre ser mais perto ou longe, apenas desgosto de corpos infantis. Mesmo se o outro lado se aproximar e se oferecer para mim, recusarei!”

“Que pena. Se Vossa Majestade estivesse obtendo a senhorita Farnese com a intenção de saciar os desejos sexuais de Vossa Majestade, então esta ativamente suportaria a decisão, já que significa que o fardo nesta diminuiria por um bom tanto.”

“Você não gosta de dormir comigo esse tanto!? Não, espera. No fim, não foi você que gozou primeiro…!?”

“Perdões. Nesse momento, esta ainda não tinha percebido que Vossa Majestade é um garanhão. Vossa Majestade até mesmo se satisfez por completo na primeira noite, 3 vezes seguidas nisso… Honestamente, esta começou a se arrepender.”

“Isso não é demais?”

Ouvi da minha amante de 1 semana que ela já começou a se arrepender de sua decisão.

Podia ter sido uma relação física sem qualquer amor, mas ainda não consegui não sentir o golpe…

Enquanto estava conversando com a Lapis Lazuli, alguém bateu na porta.

“Ó grande lorde. O almoço de Vossa Majestade chegou.”

“Ah. Está tudo bem, pode entrar.”

São as empregadas que estão trabalhando no palácio do governador.

As empregadas abriram a porta e entraram no quarto. Cada empregada estava carregando uma bandeja de prata. Elas olharam para esta direção e o rosto de todas congelou. Um homem e uma mulher estavam deitados nus na cama. Embora estarmos usando o cobertor, a parte superior de meu corpo estava exposta.

“D-Desculpe-nos! Vossa Majestade!”

“Está tudo bem. Aquele que ordenou para vocês entrarem foi eu, não há motivos para se desculparem. Não se preocupem conosco e ajeitem o almoço.”

“Ah…entendido.”

As empregadas graciosamente colocaram as culinárias na mesa. Embora tenham dado seus melhores para se manterem indiferentes de nós e manterem suas cabeças no lugar, elas instintivamente olhavam para cá de relance.

Hm? Era a primeira vez vendo um Lorde Demônio sem roupas?

Achando isso engraçado, silenciosamente continuei assistindo as empregadas até que ouvi o som de uma língua estalando com um ‘tsk’. Foi tão baixo que eu poderia não ter percebido o som. Meu coração ficou drasticamente frio.

“Nós deveremos nos ausentar agora.”

“Todas vocês. Parem aí.”

As empregadas congelaram na porta.

Eu involuntariamente falei em uma voz fria.

“Quem que estalou a língua?”

“Perdão?”

“Não façam-se de inocentes. Eu claramente ouvi o som de uma língua estalando. Confessem quem é a culpada.”

As empregadas olharam entre si com contemplações de pânico. Mas apenas por um breve momento. Seus olhos naturalmente se reuniram em uma única pessoa. Uma garota com orelhas de gato da raça das bestas.

Então é isso. Você é a culpada que estalou a língua?

Visto-me com um roupão frouxo e levanto-me da cama.

“…”

Nesse momento, a empregada da raça das bestas percebeu seu erro e começou a tremer. Seus dentes estavam rangendo. Suas colegas aparentemente perceberam qual seria seu destino e se afastaram alguns passos.

“Nome.”

“J…J-Julia, é o nome desta.”

“Entendo, Julia. Você tem um lindo nome.”

Em contraste ao elogio, meu rosto estava severo.

“Por que estalou sua língua mais cedo?”

“E-Esta está terrivelmente arrependida, Vossa Majestade. Por favor, perdoe esta!”

“Perguntei por que você estalou sua língua.”

A empregada não conseguia responder.

Tudo bem. Não a perguntei esperando que conseguisse responder. Já sei a resposta.

Esta garota não estalou a língua para mim. Um pouco para o lado. Em outras palavras, enquanto encarando a Lapis Lazuli, ela estalou a língua.

Isso me deixou de mau humor.

Incrivelmente.

No ponto que eu mal consigo controlar minha raiva.

“Está me menosprezando pelo fato de ter me visto sendo íntimo com minha amante?”

“Não. Vossa Majestade, esta não achou nada disso…!”

“Entendo. Deve ter sido bem desagradável em ver uma mera camponesa mestiça na mesma cama de um Lorde Demônio. Deve ter sido uma visão bem amarga. É por isso que você estalou sua língua a minha amante, certo?”

“E-Esta… Esta estava…”

Acertei em cheio.

É o que senti de sua resposta.

Não há mais nada para ver.

Dei passos largos em direção à parede onde espadas estavam sendo exibidas, e puxei uma. A fina lâmina fez um som metálico enquanto era puxada. Vendo isto, as outras empregadas gritaram.

“Antes de ser uma camponesa, ela é minha noiva. Com que autoridade você está menosprezando minha amante. Sou ridículo o suficiente para você me menosprezar?”

“Vossa Majestade…pelos a vida desta…por favor, poupe-a…”

Algo realmente difícil de entender.

Depois de cair neste mundo, apenas coisas incompreensíveis estiveram acontecendo.

Por que as pessoas subestimam as outras tão facilmente?

Por que as pessoas não mantêm sequer um pouco de etiqueta?

E finalmente, por que as pessoas atacam quando sabem que perderão?

Elas não têm cautela, elas não têm senso comum, e elas não têm conhecimento. Assim fizeram Paimon e Lodbrok. Aquela velha desbalanceou meu interior alguns dias atrás, e agora essa empregada está tentando começar uma briga.

É por isso quê.

Já que está cheio dessas pessoas.

Por causa dessas pessoas irresponsáveis, minhas irmãs e eu—

Abruptamente, escolhas apareceram com um efeito de som.

 

[1. Punir]

[2. Poupar]

 

Uma janela semitransparente que só podia ser vista por mim.

Eu fortaleci meu aperto no punho da espada. As outras empregadas suspenderam suas respirações. A garota besta murmurava por perdão enquanto derramando lágrimas.

Matar ou não matar. Todos os tipos de cálculos passaram por minha cabeça. A posição política ameaçada por matar uma serva no palácio do governador. O impacto social que causaria. O dano que causaria à minha imagem pública. Entretanto, apesar de considerar todos estes deméritos, ainda estava difícil perdoar esta garota. Incrivelmente difícil. Não sei claramente qual a razão que não consigo, mas—

“Lorde Dantalian.”

Em um subjugado

e sempre calmo tom.

“Isso é o suficiente.”

Lapis Lazuli falou.

Lentamente virei minha cabeça à Lala.

Naquele lugar estavam os mesmos olhos que vi alguns dias atrás.

Aquele mesmo olhar reprovador perguntando-me se não percebi o que fiz de errado.

“…”

Naquele momento.

O interior da minha cabeça imediatamente esfriou.

Finalmente consegui perceber o quão insano minhas ações atuais estão sendo. Para mim tentar matar alguém apenas por ter estalado a língua uma vez. Ridículo.

A velha e esta empregada diante de mim são diferentes. A velha é a culpada principal por ter completamente arruinado a vida da Lapis Lazuli. Entretanto, tudo que esta empregada fizeste foi estalar a língua. Embora ela certamente não saiba sobre conduta, é apenas isso. Ela não cometeu um crime que vale-se a pena punição de morte!

Eu semiforçadamente jorrei água fria na minha cabeça.

‘Se acalme.’

‘Não faça inimigos sem razão.’

‘Se eles reconhecerem seu erro, recue um passo.’

Procedimentos de conduta encravados como um manual.

A doutrina que tornou-se quase instintivo por causa da educação do meu pai, começou a fazer efeito. Um segundo, dois segundos, e depois do terceiro segundo, reganhei compostura.

Arduamente abri minha boca.

“…refletiu o suficiente sobre seus atos?”

“S-Sim! Vossa Majestade! Esta está terrivelmente arrependida. Esta nunca repetirá o mesmo erro!”

“Nunca se esqueça dessa emoção. Um simples erro pode ameaçar sua vida.”

Me virei e olhei para as outras empregadas, e assim falei.

“Mantenham isso em mente. Servas como vocês que lidam com pessoas da alta nobreza, toda e cada uma de suas ações podem levar a um erro irremediável. Seus erros logo se tornarão os erros de Niflheim. Suas impudências logo se tornarão a impudência de Niflheim. Ajam com responsabilidade.”

As empregadas reverenciaram profundamente de uma vez só.

“”Manteremos isso em mente, Vossa Majestade!””

Acenei com a cabeça.

Com isto, sucedi em dar uma resposta evasiva.

“Bom. Vocês podem sair agora.”

E assim, as empregadas rapidamente se ausentaram.

 

[1. Punir]

[2. Poupar] 

 

As palavras brilharam fortemente no meio do ar.

Então se quebraram e formaram novas linhas.

 

[Uma gentil e piedosa decisão!]

[Fama aumentou superficialmente.]

 

As linhas assim se dividiram em pedaços menores e dispersaram-se como pétalas.

Devo ficar satisfeito que sequer ganhei alguma fama, mas honestamente, meu humor atual está absolutamente o pior. Realmente lá embaixo. Já se faz um tempo desde que meu humor ficou tão terrível.

Lapis Lazuli encarou-me silenciosamente.

O momento que nossos olhares se encontraram, instintivamente me desculpei.

“Me desculpe.”

“Por o quê?”

“Isso é…”

Não consegui responder.

O sentimento de ter feito algo errado estava pressionando contra meu coração. Porém, não consegui entender o que exatamente fiz de errado, nem sequer um pouco. É de deixar perplexo.

Silêncio continuou.

No fim, Lapis Lazuli soltou um suspiro.

“…entendo.”

O que ela entendeu?

Ela se levantou da cama e se vestiu. Depois dela ter completamente vestido seu uniforme, ela abaixou suas costas e reverenciou. Um movimento fluído sem sequer o mínimo de erro.

“Esta deverá fazer as preparações para partirmos aos mercados de escravos. Seria adequado contratar novamente as Irmãs Berbere para esta viagem. Por favor, apresente-se assim que Vossa Majestade terminar de comer.”

“Lala.”

“Esta deverá se ausentar primeiro.”

Sem olhar para cá, ela abriu a porta e saiu.

Como há 4 dias, estava novamente sozinho na cômodo. Lapis Lazuli já pode ter saído, mas seu aroma rosado ainda estava no ar.

E então, uma janela de notificação.

 

[A afeição de Lapis Lazuli diminuiu por 1.]

 

“…”

Silenciosamente cobri meu rosto com as minhas mãos.

Enquanto vivendo, sempre pertenci ao grupo de pessoas que se desapontava com os outros, nunca fui parte daqueles que desapontava os outros.

Mas não hoje.

Eu desapontei a Lapis Lazuli.

 

 

▯O Mais Fraco Lorde Demônio, Rank 71º, Dantalian
Calendário do Império: Ano 1505, Mês 9, Dia 20
Niflheim, Palácio do Governador 

“Sabe qual é a pior parte?”

“…”

“O fato de que não sei o que fiz de errado.”

Final da tarde.

Antes que eu percebesse, o cenário do lado de fora da janela já estava escurecendo.

Barbatos estava me olhando quietamente sob a iluminação trêmula da vela.

À medida de que o lado de fora escurecia, a sombra que cobria a compleição de Barbatos espalhou-se por todo seu rosto. Enquanto suportando seu queixo com seu braço, ela silenciosamente me olhava.

“Eu poderia ao menos ter agido descaradamente se não sentisse que tivesse feito algo errado. Poderia até mesmo perguntar à outra pessoa qual era o problema. Mas não eu, eu entendi que fiz algo errado; apenas não sei o que fiz. E…é uma sensação de pura miséria. E muita…”

“…”

“Diga-me. O que a Lapis Lazuli queria de mim?”

Encarei a Barbatos com olhos diligentes.

Barbatos abriu sua boca, mas nenhuma palavra saiu dela.

Então não havia outra escolha porém para eu continuar falando.

“Ela queria que eu me ajoelhasse e implorasse? Era isso que a Lapis queria de mim? Para eu jogar fora minha dignidade, como um escravo. Para abandonar algo como salvar a cara e simplesmente implorar?… Poderia ser isso. Isso é mais que possível.”

“…”

“Porém, por que ela não me contaria sequer o que foram meus erros?”

Agarrei minha testa.

“Isto enlouquece as pessoas. Barbatos. Isto é realmente algo que enlouquece as pessoas. Você sabe por que a Lapis não me contou nada?”

“…me pergunto.”

“Há uma razão. Lapis quer que eu perceba meus erros por conta própria. Que se ela não me contasse, assim perceberia por conta própria. Lapis tinha expectativas para mim. Droga!”

Thud

Bati no chão.

“Foi insultador, e ainda mais insultador. Porquê…porque ela estava me tratando como um idiota. Primeiramente, ela estava desapontada que não percebi meus erros. Segundo, ela esperava que eu descobrisse o que fiz de errado. Você entende? Hm? Você entende o quão merda isto é?”

Rosnei.

Mas não consegui fazer direito.

A rosnada pareceu mais uma risada forçada.

“A Lapis não estava apenas julgando o meu eu atual, mas também meu eu futuro. Por conta própria. De vontade própria! Como se tivesse me entendido por completo! Como se, ela estivesse se considerando estar numa posição mais alta do que eu…!”

Rangi meus dentes.

“Foi tão insultador que poderia vomitar. É a primeira vez na minha vida que recebo este tipo de ofensa. O desapontamento e a expectativa da Lapis tornaram-se duas paredes que me esmagaram ainda mais. Em meu peito, uma lenta raiva…uma lenta ira estava aparecendo em relação à Lapis.”

“Dantalian.”

“Tomei uma resolução em minha mente.”

Encarei a vela.

A vela tinha duas cores.

A parte superior amarela, e a parte inferior azul.

Enquanto emitindo as luzes dessas cores, a luz queimou e abaixou lentamente.

“Ser pego uma vez. Esperarei até a próxima vez que ela mostrar desrespeito. E se Lapis irracionalmente me ignorar mais uma vez.”

Peguei o pavio da vela com meus dedos.

A chama piscou e morreu.

“—quando isso acontecer, não ficarei sem reagir.”

[Capítulo Anterior]            [Índice]             [Próximo Capítulo]